sábado, 15 de maio de 2010

Fernando Nobre pensa nos mais pobres

Depois das palavras do artigo «Presidente da Caritas: Presidente da Caritas: São os que não geraram a crise que a vão pagar”, aparecem agora, no mesmo sentido, as deste outro artigo Fernando Nobre diz que medidas de austeridade penalizam portugueses mais pobres.

O candidato a Belém, confirmando a sua vocação humanista e a sensibilidade para quem sofre de pobreza e de outras ameaças vitais, «defende que os portugueses que ganham menos de 700 euros não devem sofrer qualquer penalização em matéria de IRS, propondo ainda um corte de dez por cento nos salários superiores a 10 mil euros».

Explicitamente, diz “Não nos podemos esquecer que Portugal tem 18 por cento de pobres e que outros 20 por cento estão ligeiramente acima do limiar da pobreza”,

4 comentários:

Fernanda disse...

Querido amigo João,

Tenho muita esperança neste candidato, oxalá ele consiga um bom resultado, para mim ele é o futuro que precisamos.

Beijinhos

A. João Soares disse...

Quarida Ná,

Realmente, de todos os indigitados é o que está menos metido nas poucas vergonhas que têm arrastado Portugal para a crise que temos vindo a sofrer desde o 25 de Abril quase em continuidade.
Ninguém lhe aponta ambição material, corrupção ou troca de favores em benefício pessoal. Pelo contrário é generoso e tem feito grande esforço pelo bem da população mais desfavorecida de qualquer parte do mundo.

Beijos
João
Sempre Jovens

Pedro Coimbra disse...

Atenção que agora tem concorrência de peso!!

http://devaneiosaoriente.blogspot.com/2010/08/francisco-lopes-e-o-patusco-escolhido.html

Um abraço

A. João Soares disse...

Caro Pedro Coimbra,

Por enquanto é o único candidato sem ter estado sujeito directamente à contaminação dos vícios e manhas dos políticos dos aparelhos partidários.

Mas o povo não o conhece, não conhece mais nada além dos politiqueiros que lhe entram em casa através do pequeno ecrã.

Olhando para o nível de informação do povo, teremos que continuar a aturar o Cavaco, desta vez a fazer asneiras mais visíveis, porque já não se preocupa com outras eleições.

Um abraço
João
Sempre Jovens