sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

A Vida já não é respeitada

Indivíduos matam familiares e estranhos por motivos fúteis. O marido irado «Mata mulher à frente da filha e assassina GNR», caso que foi notícia destacada, que devia fazer pensar os responsáveis pela Segurança Interna e pela Justiça na forma mais adequada de evitar o agravamento desta fobia e desrespeito da vida alheia.

Mas esse desrespeito está dentro de muitos cidadãos e, o que é mais incompreensível dentro da cabeça e do coração de muitos agentes da Justiça, como mostra a notícia «Condutor que matou peão não foi proibido de guiar». Não é com esta benevolência para o homicida que se exerce poder de dissuasão para tais desmandos. Na estrada praticam-se os piores crimes contra o ser humano, embora se possa dizer que é por negligência. Mas é uma negligência culposa, porque a arma que se tem na mão – o carro – é altamente perigosa e merece sérios cuidados que não podem ser descurados.

A última notícia que chega diz que «16 militares colhidos por automóvel ligeiro», o que mostra que grande parte dos automobilistas consideram a estrada como exclusivamente sua e inteiramente disponível para conduzirem despreocupadamente e não possuem capacidade para reagir perante qualquer obstáculo ou outro utente da estrada pública.

Perante estes desrespeitos pelas vidas alheias os agentes da autoridade, em todos os sectores relacionados com a Segurança de pessoas e de bens, deviam agir de forma mais eficaz tanto nas medidas dissuasoras como nas repressivas.

11 comentários:

Beta disse...

Olá.
Realmente isto me choca demais sabia?
Não consigo entender como chegamos a este patamar de maldades e violências...

Bj
Beta

Luis disse...

Caríssimos João e Beta,
O stress, a falta de princípios, a falta de educação, a falta de respeito são tais que levam a esta violência ainda mais selvagem que a dos animais ditos irracionais!
Há que acabar de vez com esta situação se queremos sobreviver!!!
Um abração muito solidário.

A. João Soares disse...

Cara Beta,

As fraquezas humanas são naturalmente permissivas, levando a sociedade para o desleixo, a ausência de moral e de ética. Para evitar o afundamento no pântano da lassidão da pouca vergonha, é preciso um esforço permanente que corrija os pequenos erros antes que se tornem mais graves.
A permissividade das autoridades políticas, administrativas e judiciais conduz ao agravamento dos erros sociais. Depois de se cair, o soerguer é difícil. Para reparar os erros acumulados é indispensável um grande esforço, com autoridade e regime forte e repressão dos desvios. Ora, nos tempos que correm, não há clima para tal solução.
Aparecem ONGs para reduzir o «sacrifício» dos condenados nas prisões, mas não há ONGs, que deviam ser em maior quantidade, em defesa das vítimas dos crimes.
A última de que tive conhecimento é de uma prisão na Áustria que é uma autêntica estância de férias de cinco estrelas.
Assim a humanidade não pode avançar.

Beijos
João

A. João Soares disse...

Caro amigo Luís,

A solução tem que passar pela restauração da Justiça e das leis em que se apoia. Justiça mais rápida dura, rigorosa, é indispensável. Ninguém compreende que um jovem mate por atropelamento uma mulher e não seja proibido de conduzir durante algum tempo e tenha de fazer exames psicomotores, para se averiguar se tem condições de poder voltar a conduzir. Sem dissuasão eficiente os crimes não serão reduzidos.

Um abraço
João

Fada do bosque disse...

Caro Amigo Luís

Ainda não tinha comentado para lhe dizer o quanto gostei de o ver na foto!
Uma pessoa cheia de carisma, permita que lho diga!

Talvez eu seja muito céptica, mas acho que os Estados provocam estes caos, para poderem um dia que se torne insustentável, experimentar os novos "brinquedos", que com voracidade armazenam. Não consigo ver outra explicação!
Tem de lidar com o binómio superpopulação e recursos... muito mau, pois não os querem distribuir.

Deixo aqui um link sobre o que penso destes obriros do sobrenatural!
Continue com o seu excelente, ou excelentes blogues.
Atenção, que o tema do link pode ferir susceptibilidades, especialmente de ateus fundamentalisats! :)))

Abraço.

Fada do bosque disse...

No meio de tudo isto, esqueci-me do link... enfim, as minhas desculpas.

http://www.noticiaslusofonas.com/view.php?load=arcview&article=24783&catogory=Opini%E3o

A. João Soares disse...

Cara Amiga,

O link não conduz a nada! Caprichos informáticos!
Mas subentendo que se refere a intenções de fazer frente à numerosa população por processos pouco humanos e respeitadores da vida. Recentemente referi-me a isso com uma espécie de ironia futurista ou um futuro irónico e doentio. Parece que já estivemos mais longe de tais soluções. Ai de quem já não for economicamente activo e produtivo!

Beijos
João

Fada do bosque disse...

Caro João desculpe... na secção opinião. Espero que este link sirva. :)

http://www.noticiaslusofonas.com/

Táxi Pluvioso disse...

Isso só se irá agravar consoante as condições económicas se agravarem. Uma pessoa acossada pelos impostos, desemprego, inflação etc. tem de explodir para algum lado. Portugal ainda está muito bem neste aspecto. Os portugueses são um bocado amaricados e refugiam-se na depressão e no suicídio.

A. João Soares disse...

Caro Taxi,
Se muitos portugueses se suicidarem, evitarão que os outros sejam eutanasiados!!! Portanto o suicídio será um acto de generosidade e sacrifício pelo próximo!!!

Mas penso que os governantes irão mais longe para reduzir as despesas com pensões e saúde.
Um abraço
João

Fada do bosque disse...

Caro João Soares, vi agora que no no 1º comentário e ao engano, escrevi Luís... as minhas desculpas.

Eu concordo com Táxi Pluvioso... se o português, não fosse um povo amaricado!... é que já temos motivos de sobra, para cozinhar uma revolução!
É que, ou é de mim, ou não nos deixarão em paz doutra forma.
Em relação ao suicídio... acredito que muitos irão escolher essa solução.
A solidariedade social já aliviou a responsabilidade do Estado em 20% e entretanto continuamos a ser roubados!
Acresce que vão aumentar a energia eléctrica. Onde irá isto parar?!
Os nossos governantes deviam estar a governar! Não o têm feito. Têm sim andado a roubar em vez de se preocuparem de temas como este:

http://associacaocomercialdoporto.blogspot.com/2009/11/antonio-garcia-pereira-e-o-tgv.html
Abraço