sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Os portugueses entregaram Portugal a quem?

Transcrição:

A receita do costume
Jornal de Notícias. 5 de Dezembro de 2009. Por Manuel António Pina

Temos de novo o FMI à perna. O FMI é uma espécie de tutor que, quando não sabemos governar--nos, nos declara incapazes e passa a governar-nos por nós.

A trapalhada financeira de um Orçamento feito "com grande sentido de responsabilidade", mas que, afinal, Teixeira dos Santos dixit, parece que foi elaborado "num quadro financeiro que não incorporava" o impacto real da crise financeira, mais a trapalhada de um Orçamento Rectificativo de que o mesmo Teixeira dos Santos não via, em Maio, "necessidade" e em Novembro já via, com medidas de contenção do défice (que cresceu 284% no 1.º semestre) que ainda em Julho garantia que não adoptaria pois "os números" davam "sinais claros de controlo da despesa", levaram o tutor a achar que era melhor ser ele a decidir o que deve fazer o Governo já que este parece não saber às quantas anda.

E a receita é a santíssima trindade do costume: reduzir salários, reduzir prestações sociais, aumentar impostos, isto é, o que, nos anos 80, impôs a Mário Soares sob a estimulante divisa "apertar o cinto". Resta saber é se os portugueses têm mais buracos no cinto para apertar.

NOTA: Como se pode dizer que o Orçamento foi feito "com grande sentido de responsabilidade» e depois o inistro das Finanças, seu autor ou co-autor, diz que foi elaborado "num quadro financeiro que não incorporava" o impacto real da crise?

Qual o crédito que merece um ministro que em Maio dizia não ver necessidade num Orçamento Rectificativo e em Novembro já via? E as medidas de contenção do défice que em Julho disse que não adoptaria pois "os números" davam "sinais claros de controlo da despesa", e agora são necessárias? No entanto, desde de Maio nos acenam com visível recuperação da crise.

Qual tem sido o papel dos governantes na gestão dos interesses do País?

Afinal quem nos governa? O nosso Governo ou o FMI? Quais os livros por onde estudaram os sábios do FMI? E qual a razão de os inteligentes de Portugal não lerem esses livros? Como compreender que especialistas de gabinete lá longe saibam melhor o que interessa a Portugal do que os portugueses que vêem de perto e cheiram a podridão em que estamos? Interrogo-me se há alguém em quem possamos ter confiança.

5 comentários:

Luis disse...

Caro João,
Li o post e a tua nota e fico com a ideia que as soluções apontadas pelo FMI deveriam contemplar só a classe dirigente , visto o povo já "andar de tanga".
REDUZAM-SE OS DEPUTADOS PARA 50 E JÁ CHEGAM...REDUZAM-SE OS MINISTRIÁVEIS E SEUS SECRETÁRIOS, SECRETÁRIAS, ETC., ETC... RETIREM-SE OS CARRÕES A ESSA "MALTA" TODA... CARREGUEM-SE OS IMPOSTOS A ESSES "COMILÕES" E DEPOIS NÃO ME CHAMEM COMUNISTA...Isto só tem a ver com uma melhor distribuição da pobreza em que vivemos! Mas vais ver que será mais uma vez o mexilhão que vai "pagar as favas"!!! Triste Vida a do Português!!!
Um abraço amigo

A. João Soares disse...

Caro Amigo Luís,

Manuel António Pina, com o seu estilo meio irónico, põe a nua a incoerência dos políticos a sua falta de credibilidade. Falam em cada momento esquecendo o que disseram poucos minutos antes. Foi neles que o povo votou. Mas não é por acaso que só cerca de um quinto dos eleitores inscritos votou no partido vencedor nas legislativas. Isso mostra que o povo não está tão ignorante como dizem, não se deixa «levar» pelas falsas promessas dos políticos.

Um abraço
João

Táxi Pluvioso disse...

O FMI é que controla o crédito aos Estados e os Estados vivem do crédito. A "crise" poderia mudar isso mas a dupla Bush-Obama entrou em pânico e tudo ficará na mesma.

A. João Soares disse...

Caro Táxi Pluvioso,

O amigo tem vistas largas e v^logo o FMI. Mas olhando cá para dentro, além daquilo que vemos diariamente, encontramos a notícia Sócrates acusa oposição de "irresponsabilidade" e "exibicionismo político o que significa que todos os políticos, mesmo os do PS, ou talvez mais esses, são irresponsáveis e exibicionistas. Pensam mais nos interesses próprios e do partido do que nos do País, das pessoas cujos destinos lhes foram entregues.
É a este tipo de gente de cabeça vazia, vaidosos exibicionistas, mentirosos qie Portugal foi entregue pelos eleitores.
Um abraço
João

Fada do bosque disse...

Caro amigo João Soares, eu ainda não percebi, (porque é que a maioria dos que foram votar, porque os outros são uns irresponsáveis) votou de novo no partido que nos tem levado à penúria!
Isto está a ficar muito parecido com Angola... o seu cão de fila, José Eduardo dos Santos e a sua máfia do MPLA, que compra empresas em Portugal, para lavar dinheiro dos angolanos. Mas com uma grande diferença, o país não tem riqueza e não vejo soluções.
Quanto ao nosso governo, não se coíbe de pagar o que paga ao Constâncio que foi o 1º a vir dizer que é preciso apertar o cinto... por exemplo. Sinceramente, não entendo onde vamos deixar chegar tanta ganância... a desses parasitas!