domingo, 13 de dezembro de 2009

Queda de bancada causa 15 feridos

Ontem às à tarde, numa festa de Natal a decorrer na Terra dos Sonhos, em Santa Maria da Feira, uma bancada caiu causando 15 feridos, incluindo seis crianças e duas grávidas, felizmente sem gravidade. Mais duas pessoas sentiram-se mal e acabaram por ser transportadas para hospital 17 pessoas. Logicamente o abastecimento de energia foi cortado e houve cenas de pânico.

Este acidente, como outros em espectáculos e mesmo no trabalho, são muitas vezes resultado de irresponsabilidade, incompetência, falta de profissionalismo, desleixo, incúria. Infelizmente, há muita gente que não se preocupa com a perfeição do trabalho mas apenas com o salário que recebe. É necessário averiguar todos os casos e condenar rápida e rigorosamente os responsáveis pelas deficiências que ocasionem acidente que possam colocar em perigo vidas humanas. A impunidade não deve ser deixada alastrar por todos os sectores e é urgente criar medidas de dissuasão, com vista à recuperação da sensação de segurança e de confiança.

Os cuidados com os espectáculos devem ser acrescentados ás precauções necessárias para que uma quadra festiva, de alegria, não seja transformada em dor e luto, referidas aqui..

2 comentários:

Maria Letra disse...

Não fosse a minha vontade de não deixar passar em branco nada do que escreve, amigo João Soares, e também eu, não comentaria, porque contra factos, não há argumentos. Incúria é a unica justificação que posso pensar ter acontecido, pois só uma causa natural teria a minha compreensão. E não morreu ninguém porque não calhou, porque se tivesse morrido, provavelmente até veríamos os responsáveis não serem responsáveis e as famílias levarem assim como que umas condolências deste e daquele. Peço desculpa, mas eu tenho lido cada notícia deste tipo, que fico perplexa. Não podemos confiar em nada nem em ninguém.
Maria letra

A. João Soares disse...

Querida Amiga Mizita,

É realmente um caso concreto que já nada evita. Mas há que tirar a lição do desle9ixo que está a generalizar-se. Há uma falta de sentido da responsabilidade, porque ninguém sanciona com rigor os culpados directamente ou indirectamente. É preciso fazer bem as nossas tarefas, mas pouca gente pensa assim. A perfeição deixou de ser um fim em vista. O que é preciso é chegar ao dia de receber o salário. Somos frequentemente vítimas de erros de prestadores de serviços, que têm pessoal bem pago e que é desleixado.

Enviei há pouco um e-mail para a CGD por dois erros incompreensíveis. Se um cliente erra, paga, mas eles ou nada fazem, ou não reconhecem que erram ou se limitam a apresentar desculpas.
Quantas mortes nas estradas, nos aviões, no trabalho teriam sido evitadas se houvesse dedicação ao trabalho, perfeição na execução das tarefas, respeito pela vida dos outros, etc?

Beijos
João