terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Um pilar do poder actual

Não me parece justo quererem fazer esta cabala, este homicídio político, a um tipo tão educado, cavalheiro, simpático, cortês, palaciano, que teve a amabilidade, a gentileza de dizer a uma senhora sua colega do Parlamento que ela se vende por qualquer preço!!!

Ficam aqui os links que recebi por e-mail para que se possa ver até onde chega a malvadez dos opositores!!!

E depois, há quem diga que não há fumno sem fogo!!!

-http://alertaconstante.blogspot.com/2009/12/ricardo-rodrigues-vice-presidente-da.html

-http://5dias.net/2009/12/20/o-rodrigues-do-socialismo-democratico/

-http://arrastao.org/sem-categoria/era-um-homem-de-sucesso-era-um-self-made-man-a-voz-do-ps-contra-as-corrupcoes/

-http://www.aventar.eu/tag/ricardo-rodrigues/

7 comentários:

Luis disse...

Caro João,
É por causa destes "pilares" que estamos como estamos... "à beira de um ataque de nervos"!!! Coitadinho do "piqueno", ele que até é um "santinho"!!!
Estive lendo a carta ao presidente relativo do conselho de ministros do seu correligionário José M. Barbosa e por aí se vê como isto anda mal!
Um abraço amigo à espera de melhores dias!!!

Fernanda disse...

Querido amigo João,

Não li ... não me puxe as orelhas.
Venho só trazer os meus Votos de um 2010 melhor (será que é possível?)

Que o ano que se finda seja visto como um aprendizado, porque na senda da vida, cada um de nós é um eterno aprendiz, aprendendo com as vicissitudes diárias que servem para descobrirmos os motivos de nossa actual existência.

Beijinhos

A. João Soares disse...

Caro Luís,

Todos os leitores deste blog sabem como me esforço para ser optimista, como em cada momento desejo que o momento seguinte seja melhor e de mais confiança no futuro. Mas o tempo está a fazer ruir esse edifício de esperança e confiança que gostava de continuar a erigir. Neste momento, chego a pensar que não se deve esperar passivamente, mas sim agir, agir de qualquer forma que esteja ao nosso alcance, correndo todos os riscos, porque não há maior risco do que deixar de ver futuro decente para a juventude, para as crianças de hoje.

Este pequeno do post não é uma excepção, tem todo o apoio do seu patrão. Está na mas pegadas daquele que disse QUEM SE METE COM O PS APANHA e do outro que disse É PRECISO MALHAR NELES. Há-de ser ministro e depois administrador de uma qualquer construtora que tem negócios com o Estado ou de uma das muitas empresas de capital público e que servem de asilo aos «boys».
Os deputados passam o tempo a «discutir» ninharias sem importância por não terem capacidade de equacionar os grandes problemas dos portugueses e que precisam de ser solucionados.
Repara nas dezenas de colaboradores do MDN que foram agora contratados (despachos 27532 até 27560). Em 1982 o MDN preparou a Lei de Defesa Nacional o Estatuto do Objector de Consciência e a Lei do Serviço Militar, além d outros diplomas de fundo e tinha menos de meia dúzia de colaboradores nos gabinetes do Ministro e do Secretário de Estado.
Hoje a mania das grandezas e a vaidade leva os governantes a rodearem-se e de muita gente que não produz nada que corresponda aos custos.
O panorama está muito desanimador. E o povo ao entrar em pânico pode desencadear processos de consequências graves. Seria de bom senso evitar o agravamento.
Não gosto de criticar mas de alertar para serem tomadas medidas positivas.

Um abraço
João

A. João Soares disse...

Querida Amiga Ná,

Querida Ná,

Embora o comentário não se refira ao tema do post, como este não precisa de esclarecimentos suplementares, vou responder aos seus votos de Bom Ano.

Estamos no momento adequado para fazer um exame dos erros e acertos do ano que finda e fazer um diagnóstico do ponto em que nos encontramos, tanto em relação à vida privada como aquilo que nos cerca. E, como a um diagnóstico deve seguir-se a terapia, devemos procurar que o ano 2010 seja, para cada um, um ano de consolidação daquilo que está bem e de recuperação daquilo que precisa de ser melhorado.

Mas as coisas não melhoram por milagre mas sim por esforço bem aplicado e bem orientado. Uma força define-se por um ponto de aplicação e um sentido. É preciso ver bem onde vamos aplicar o nosso esforço e em que sentido o vamos orientar, para qual objectivo vamos lutar.

Não desperdicemos recursos em acções não produtivas. Não criemos nada que seja apenas de ostentação e que depois vá originar despesas de manutenção e de funcionamento que não sejam cobertas pelo resultado deste.

Desejo a todos acção no melhor sentido, para os melhores objectivos e que tenham o êxito desejado em todas as suas acções. Nada menos aconselhável do que a inacção e a apatia, quando se trate de algo fundamental para as suas vidas e as dos seus descendentes.

Que Deus compense os nossos esforços mais positivos.

Beijos
João

Táxi Pluvioso disse...

É verdade, de facto, as senhoras portuguesas vendem-se por qualquer preço, depende da converseta.

UM BOM ANO

FRezende disse...

Só com o que li no Blogue "alertaconstante" do 1º link, fiquei horrorizado.
Como é possível que um candidato a 1º ministro integre na sua lista um indivíduo com tal curriculo?
Perdida a vergonha, perdeu-se a Honra e todos os valores que a ela estão associados.
Para onde caminha este País?
E onde está quem possa pôr cobro a
tanto desmando? E, em nome da Democracia, temos os Generais e Capitães de mãos e mentes atadas; para quando a lucidez e coragem tomarão conta dessas mentes e as levem a agir em Defesa da Honra perdida?
Definitivamente, este não é o meu País, estes não são os valores que a minha Pátria tinha.
E, se bem me lembro, temos um Hino Nacional que em dado passo proclama "...às Armas, às Armas, contra os..."!!!

A. João Soares disse...

Caro Amigo Rezende,

Agradeço o teu comentário. O caso é grave e denunciador de uma profunda crise moral de de valores éticos de toda a ordem. Aplica-se a leia da Física «a matéria atrai matéria na razão directa das massas... ». Os malandros atraem-se e formam bandos numerosos e indestrutíveis.
Não tenhas esperança em capitães e muito menos em generais. Aliás no 25 de Abril, os militares fizeram a parte mais fácil e, depois, no mais importante fracassaram, deixaram o país na mão das feras no PREC.
Agora parece que o problema se vai resolver com actos cirúrgicos, pontuais, con uns dentes partidos de quando em quando até que desapareçam envergonhados ou se modifiquem (o que não parece provável) Quem diz dentes partidos diz outra coisa mais ou menos convincente. No post Diálogo construtivo é desejável deixei alguns alertas para uso dos políticos, porque vale mais prevenir do que remediar e quem te avisa teu amigo é.

Um abraço e votos de Bom Réveillon
João