quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Autarquia de Paredes esbanja o dinheiro público

Primeiro fiquei incrédulo ao ler o título do «Um milhão de euros para içar bandeira». Pensei que se tratasse de um novo ilhéu agora descoberto no arquipélago das Berlengas e cobiçado por países «inimigos. Depois verifiquei que não era coisa assim tão «justificativa». É apenas para fazer um mastro para içar a bandeira nacional junto à Câmara Municipal de Paredes, ali para os lados de Bitarães e de Santiago de Subarrifana.

Mesmo que o número tivesse sido escrito com dois zeros a mais já era uma exorbitância, em tempos de crise, de desemprego, de muita gente com carência alimentar, etc.

Já surgiram comentários a oporem-se a tal «oportunismo bacoco e populismo". A população sensata e com alguns neurónios "não pode aceitar que, num momento de crise económica e financeira, em que o Governo e todas as famílias estão empenhadas em poupar, se gaste tanto dinheiro numa despesa inadequada". "O argumento estafado que este acontecimento é gerador de uma dinâmica internacional e ajuda a economia local não faz o menor sentido".

Parece que alguns políticos do País, principalmente os que têm poder de decisão sobre os nossos impostos ensandeceram. Precisam de alguém que lhes «diga» de forma convincente «alto aí».

Para ler o artigo faça clique aqui.

5 comentários:

Luis disse...

Caro João,
O mundo está louco pois o materialismo que o atacou perverteu-o totalmente. Inverter esta situação vai ser muito difícil! Talvez que quando a crise bater no fundo faça as pessoas refletir e inveter tal estado de coisas! Até lá é o que se vê!!!!
Um abração.

A. João Soares disse...

Caro Luís,

Neste caso é a falta de civismo, de respeito pelo dinheiro público. Para quê uma tal despesa? Ele como o seu dinheiro se fosse ganho honestamente faria aquela despesa de estúpida ostentação?
Para inverter estes crimes cotra a população, parece que a solução mais eficiente será a utilizada contra o Berlusconi, que depois de acalmar se interrogou sobre o que levaria a povo a ter-lhe ódio.
Andam todos cegos com as suas estúpidas ambições, vaidades e atitude de abuso do poder. Precisam de ser bem ensinados. Uns puxões de orelhas em dois ou três poderão servir de lição para os outros e, se não a+prenderem, repete-se a dose!!!
Sou contra a violência, nas eles estão a pedi-la!

Um abraço e Feliz Natal
João

A. João Soares disse...

Sobre este tema tem interesse o artigo de opinião de João Pereira Coutinho no Correio da Manhã de 18 de Dezembro Tragédia e farsa

Maria Letra disse...

Eu não queria ser imprudente nos meus comentários, embora reconheça que o meu desconhecimento de certos dados de informação até possam justificar alguma conjectura da minha parte, quando sei bem que certos indivíduos - não neste caso, claro! - ESTARÃO tão habituados a lidar com certas somas de dinheiro conseguido facilmente, que tais valores até nada significam e lançam a isca ao peixe. Bolas! Chega de inconsciência! Portugal é um cantinho colocado ali numa ponta da Europa, por onde sei poderem escapar muitos 'pescadores com iscas cheias de boas intenções', mas não exageremos. Estamos, praticamente, na miséria. É o mesmo que ver um cidadão com um parco trabalho a comprar um Ferrari. Eu sei, eu sei que há muitos que fazem isso, mas valha-nos Deus. É preciso ter cuidado com decisões deste calibre ..., não vá alguém notar que aqui há gato ...
Maria Letra

A. João Soares disse...

Querida Mizita,

Este caso merecia uma manifestação de pessoas com carências à porta da casa do autarca e depois de bem acicatadas destruírem os seus haveres, tal como ele está a planear destruir o dinheiro dos seus impostos. Ou então com um vulgar mastro de bandeira, uma vara, dar-lhe umas boas cacetadas, seguindo o exemplo do caso Berlusconi! Estes anormais não devem terão cérebro dentro da caixa craniana?

Beijos
João