terça-feira, 3 de novembro de 2009

Pensamento

As leis são como as teias de aranha.

Os pequenos insectos ficam presos. Os grandes, furam-na.

Autor desconhecido

7 comentários:

Zé Povinho disse...

Por algum motivo eles escrevem as leis que nos governam a nós e com que eles se governam.
Abraço do Zé

A. João Soares disse...

Caro Zé Povinho,
Além disso, a justiça funciona com grande veneração e respeito pelo Poder, ignorando as leis por forma a não as aplicar aos «essenciais». No entanto parece haver uma brisa de mudança, com estas histórias ainda pouco contadas do Vara, do Dias Loureiro e do Oliveira e Costa.
Mas, sem dúvida, isto vai dar um estoiro. E oxalá não demore para que Portugal não seja mortalmente asfixiado.

Um abraço
João

Maria Letra disse...

Amigo João Soares,
Deus o ouça, amigo, Deus o ouça!!!
Um abraço.
Maria Letra

A. João Soares disse...

Querida Mizita,

A asfixia do povo, a extorsão dos seus cêntimos são uma realidade. Na actividade económica quem paga os lucros, os luxos e as «atenções» são os clientes, os utentes ou no preço ou na qualidade dos serviços. Ora veja o volume da corrupção e do enriquecimento ilícito que existe entre os políticos e ex-políticos a todos os níveis. É dinheiro retirado indevidamente do bolso dos pobres através dos impostos e de toda a actividade económica.
Num momento em que tanta gente passa fome e faz as contas aos cêntimos, os bancos continuam a gabar-se despudoradamente de lucros de milhões.
Isto não pode durar muito e acabará por rebentar e até me admiro de não ter começado a haver atentados aos mais imorais e sem de ética. Será que são eles que estão por trás de toda essa marginalidade e violência que por aí anda?

Beijos
João

Maria Letra disse...

Amigo João Soares,
A eles é lícito continuarem a fazer o que lher der na real gana e a nós que seja ao menos lícito denunciarmos as suas vergonhosas acções, simplesmente revoltantes.
Um abraço, amigo.
Maria Letra

Bruno disse...

Faz falta um "robin dos bosques" à moderna!

A. João Soares disse...

Caro Bruno,
A história do século passado moreá que isso costuma acontecer. O ditador aparece por vontade do povo e é por este aplaudido como o salvador.
Tem o inconveniente de não ter prazo de duração e depois abusar tanto como os anteriores.
Estes precisam que o povo os meta numa banheira e os lave de todos os vícios e manhas, nem que seja necessário tê-los com a cabeça debaixo de água um dia inteiro!

Abraço
João