segunda-feira, 28 de junho de 2010

Há solução mas falta vontade

A crise continua sem esperanças de conclusão, apresar de os contribuintes serem esbulhados de tudo, porque o cancro não é extirpado pela raiz. Têm surgido muitos diagnósticos mas, agora, um médico aponta a terapia. Assim haja capacidade, honestidade e dedicação a Portugal por parte dos políticos eventualmente válidos que deitem a mão ao leme.

De Fernando Nobre foi dito por Mário Soares:

“Fernando Nobre é uma pessoa que admiro e que todos nós admiramos porque dedicou toda a sua vida aos outros sem pedir nada em troca e isso não tem paralelo”. “É uma figura que tem um grande relevo nacional” porque “não é só de política que vive o homem”. “Para um político que se preze o mais importante de tudo é respeitar os outros”.

Transcrevo parte do artigo que refere o discurso que fez em Arcos de Valdevez sobre a situação de Portugal e aponta algumas soluções para sair da crise:

Fernando Nobre compara situação de Portugal a uma "hérnia estrangulada"
Público. 27.06.2010. Por Lusa

O candidato presidencial Fernando Nobre comparou hoje a situação de Portugal a “uma hérnia estrangulada”, que precisa de ser operada antes que surja “a terrível peritonite e a irremediável morte”.

“Portugal precisa de trabalho e de acção, só com retórica não vamos lá”, referiu, em Arcos de Valdevez, Fernando Nobre, numa conferência integrada numa homenagem a Mário Soares. Para o também presidente da Assistência Médica Internacional, o país “está na iminência de uma gravíssima crise” e, por isso, precisa de “um plano de emergência”, que passe, desde logo, pelo “encerramento imediato de centenas ou até milhares de institutos e fundações públicos inúteis, salvo para os seus gestores”.

O fim de “certas” parcerias público privadas, a definição de medidas “moralizadoras nos salários, mordomias e reformas dos servidores de topo do Estado” e a racionalização dos meios utilizados na Função Pública são outras medidas que Nobre preconiza para o plano de emergência”. Defende ainda o congelamento de “todos os mega-projetos”, apostando os investimentos públicos para o apoio às pequenas e médias empresas, e a discriminação positiva do IVA e IRS.

“Já não há volta a dar, chegou a hora de encarar a realidade. É tempo de marcharmos todos contra os canhões que nos atingem: o fatalismo, o Chico-espertismo, a paralisante e sufocante partidarite aguda, a corrupção, a irresponsabilidade, a incompetência e o laxismo”, alertou. Nobre lembrou que Portugal “já viveu outros momentos semelhantes ou até piores” do que o actual, mas sempre teve “arte e engenho” para os ultrapassar. “Este dado histórico acalentador deve obstar ao pessimismo e ao fatalismo lusitano do momento”, disse ainda. (...)

5 comentários:

Fernanda disse...

Querido amigo João,

Disse... e disse muito bem.
Este candidato tem tudo para ser o nosso presidente, até nome...é NOBRE !!!

Beijinhos

Beezzblogger disse...

Caro Amigo A João Soares, Irei Votar Neste senhor, sim, assumo-o aqui sem medos nem vergonha, e porquê?

Fernando Nobre poderá desiludir-me muito, certamente não me desiludirá mais do que Cavaco e até Soares.

Mas só me desiludirá se não fizer o que diz efectivamente, ou seja, se não lutar contra os tais interesses e poderes instalados como ele disse nessa entrevista em Arcos de Valdevez, se não combater a dita Hérnia Estrangulada.

Penso que temos de dar o benefício da dúvida, a quem quer mostrar que pode e tem capacidade para zelar por Portugal e pelos Portugueses.

Como diz a Fernanda, Fernando tem tudo para ser presidente, até o nome "NOBRE".

Abraço do Beezz

@Carlos Rocha

A. João Soares disse...

Querida Ná e caro Carlos,

Gosto de manter a imparcialidade de análise. Não há pessoas totalmente perfeitas. O Cavaco criava expectativas por ser economista e professor universitário, mas essas qualificações nada trouxeram de elevado à sua função que estivesse à vista dos portugueses mais vulgares, como é o meu caso.
O Fernando Nobre traz atrás de si uma imagem muito parecidas com a de Madre Teresa de Calcutá, uma pessoa generosa, muito humana e disponível para organizar o socorro de gente em perigo, em qualquer parte do mundo. Essa faceta é mais positiva e agradável do que a daqueles que só sabem falar de números, os quais podem ser utilizados para provar uma coisa e o seu contrário!

Julgo que o apelido ou a nobreza dada provam e até há quem diga que Nobre é apelido do Soares e querem com isso insinuar que ele será um pau mandado do Mário.

Penso que aquilo que deve ser valorizado é a faceta que tem evidenciado de humanista à frente da AMI e as palavras que pronuncia em favor da felicidade dos portugueses através de uma política racional, como o melhor aproveitamento dos recursos nacionais.

Claro que o PR não governa, mas como diz Mário Soares em Soares considera que Presidente da República deve dar sugestões construtivas,e Fernando Nobre parece decidido a não ser um PR de tabus, de complexos, de choradinhos nem de excessos de precaução que parecem falta de coragem.

Beijos para a Ná e Um abraço para o Carlos
João

Luis disse...

Caro joão,
Estas declarações de Fernando Nobre já as coloquei em tempo na Tulha por me parecerem "palavras de ordem" necessárias para se começar a credibilizar a política!
Um abraço amigo.

A. João Soares disse...

Caro Luís,

Também já aqui as referi por várias vezes. Mas, neste momento, o que tem interesse é serem proferidas pelo Fernando Nobre. Dos três potenciais candidatos foi o que que disse algo de claro e bem definido, pensando nos interesses do País.


Com este género de posts, não estou a fazer propaganda por um ou outro candidato às presidenciais. Pretendo ajudar os visitantes a informarem-se para bem decidirem e, ao mesmo tempo, pretendo esclarecer-me sobre qual deve ser a minha decisão do voto. Quando se trata de partidos, opto pelo voto em branco, por não ter a mínima consideração por qualquer deles na defesa dos interesses de Portugal mas, tratando-se de o PR ser uma entidade individual, o caso parece diferente, embora o grau académico e a experiência na máquina política nada tenham traduzido na realidade para bem de Portugal.

Fernando Nobre tem vantagens de não estar viciado nas manhas da política, ser um homem generoso e com experiência de actos meritórios em benefício do ser humano, em perigo perante desastres naturais ou outros, em qualquer parte do mundo.

Com as suas palavras mais recentes, mostrou estar consciente da actual situação do País e ter noção das medidas que considera necessárias e urgentes para sair da crise.
Infelizmente, se for eleito, pouco poderá fazer, porque para ser PR no nosso regime basta ter mais de 36 anos e saber ler e escrever e, se possível, ter bom senso, o que nem sempre tem acontecido.

Abraço
João