quarta-feira, 23 de junho de 2010

Liberdades do S. João

Um curioso aproveitamento das liberdades festivas da véspera de S. João!!! Se no Rio de Janeiro é no Carnaval, no Norte é no S. João que ninguém leva a mal que se desabafe aquilo que anda recalcado todo o ano, «nem que seja apenas à martelada...». E nem tudo é brincadeira; há coisas sérias. Veja-se o seguinte artigo:

Nem que seja à martelada...
Jornal de Notícias. 23.06.2010. Por Manuel Serrão

Acabamos de sair do luto decretado pelo Governo em homenagem a José Saramago, mas a goleada aos coreanos e o nosso rico S. João garantem que a festa segue dentro de momentos. PS e PSD preparam-se para estragar a festa (e as finanças) dos utentes dos SCUT a Norte, mas é na festa de S. João que os nortenhos devem procurar inspiração para reagir a tamanha injustiça.

S. João, S. João, dá-me tu inspiração, para ver se em três penadas consigo encontrar solução. Nem que seja à martelada!

Saramago. Não é santo, mas é popular na Esquerda onde tanto militou.

Na hora da sua morte, merece o respeito e lamento devido a todos, mas o Governo socialista entendeu que o país devia observar luto nacional durante dois dias.

Não deve ser fácil reunir consenso sempre que um Governo decreta um luto por razões semelhantes, mas a pergunta que aqui deixo há muito quem a faça: um dia que desapareça mais um vulto da cultura, da política, do desporto ou da economia portugueses, que ainda por cima tenha sempre respeitado e amado Portugal em palavras, actos e omissões, vamos decretar uma semana de luto? O que é nacional é bom? O que é Nobel é ou não...

Selecção. Como de costume, de bestas a bestiais em 90 minutos. Uma selecção que iniciou o jogo só com jogadores nascidos em Portugal deu sete pontapés certeiros na crise, quando muitos treinadores de crónicas já vertiam lágrimas por Scolari e preparavam luto nacional. Em futebol, o que é nacional é bom? O que vem de fora é... ou não!

Sacanagem. Assino por baixo o alerta de Rui Rio. Com chip ou sem chip, as desculpas para portajar só a Norte é que são "cheap", desculpas baratas.

3 comentários:

Pedro Coimbra disse...

Um artigo muito interessante, João.
E com um santo popular que me é muito caro a motivá-lo.
Quando nasci (27 de Junho), o meu avô materno queria que tomasse o nome dele (António José).
O meu padrinho, queria que eu tomasse o nome dele (José António).
O meu pai, homem muito prático e muito pragmático, pôs fim à discussão - "Nascido entre o S. João e o S. Pedro, obvimente vai chamar-se João Pedro"

O Guardião disse...

Não é necessário concentrar o desagrado e extravazar num único dia, nem que seja no do santo de devoção. O Serrão não colhe muito apoio aqui em casa, e só agora o oiço protestar contra o pagamento nas SCUT's, porque já chegou ao Porto. O país é apenas um e todos são cidadãos, quer sejam do norte, do centro ou do sul.
Eu sou contra, mas não apenas quando sou um dos atingidos.
Cumps

A. João Soares disse...

Caros Pedro e Guardião

O Manuel Serrão tem um a forma muito bairrista de defender os interesses do Porto. Mas abordou de seguida uma série de situações que merecem ser observadas e reparadas. O Governo precisa de saber as opiniões dos cidadãos e cada um dá a sua, da forma que entender melhor.
Pior do que dar uma opinião de forma tosca e menos isenta e imparcial, é ter receio de dar opinião e apenas se lamentar no café, como faz a maioria da população. Pelo facto de se querer dar opinião de forma responsável, as pessoas habituam-se a analisar as questões de forma mais racional.
E assim se aprende o civismo e a cidadania!
Abraços
João