domingo, 25 de maio de 2008

Jovens válidos são esperança para o País

Segundo o PR afirmou no discurso de 25 de Abril, os jovens não evidenciam apetência pela política, o que, como diz Marta Vieira no Diário de Notícias de hoje isso é compreensível porque «para a maior parte dos potenciais eleitores, entre os 18 e os 30 anos (com excepção de um ou outro carreirista), os políticos já deram todas as provas de incompetência e de falta de seriedade, provas essas que se acumulam de cada vez que vêem um primeiro-ministro, com um ar festivo e vaidoso, a desrespeitar promessas sobre o emprego, a consolidação orçamental, a retoma do investimento, a segurança dos cidadãos, a inflação, a estabilidade laboral, a educação, as novas oportunidades, etc., etc., etc., tudo aquilo, enfim, que serviu para enganar, mais uma vez, os portugueses».

Torna-se necessário, segundo a autora, valorizar «o que ainda resta dos tradicionais valores nacionais: o trabalho, a honra, a solidariedade». Porém como neste blog tem sido várias vezes escrito, existem jovens válidos que merecem ser apoiados porque constituem uma esperança para o País poder ressurgir do atraso e da letargia em que se tem afundado.

Passo a citar casos positivos em abono dos jovens. Pelo Jornal de Notícias de hoje ficámos a saber que «o eco-veículo da Universidade de Coimbra (UC) manteve ontem o título ibérico no European Shell Eco-marathon, realizado em Nogaro, França, ao conquistar o 11.º lugar, conseguindo percorrer 1445 quilómetros com um litro de gasolina». Trata-se de um veículo desenvolvido pelo Departamento de Engenharia Mecânica da UC que já em 2007 conseguiu uma melhor prestação tendo alcançado o 7.º posto na geral dos protótipos a gasolina, ao percorrer 1902 quilómetros com um litro de gasolina.

Na mesma competição, uma equipa da Universidade do Minho ficou no 16.º posto da classificação geral, com um veículo que percorreu 1192 quilómetros com um litro de gasolina. E esteve presente uma terceira equipa portuguesa, da Escola Secundária Alcaides de Faria, de Barcelos, que se classificou no 30.º posto, com 789 quilómetros com um litro de gasolina.

Na variante Urban Concept, da mesma competição, a equipa da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto classificou-se em segundo lugar, ao percorrer 291 quilómetros com um litro de gasolina, uma prova que teve cerca de metade dos inscritos da variante de protótipos.

Isto evidencia capacidade científica e de aplicação da teoria à prática, desenvolvendo tecnologias extraordinariamente evoluídas e inovadoras.

Também, o DN refere a actividade efectuada no edifício do auditório do Taguspark, em Oeiras, em que 90 jovens vindos de várias escolas do concelho de Oeiras, com idades entre os 15 e 16 anos, discutiam os últimos pormenores das estratégias empresariais que desenharam em apenas 24 horas, para serem avaliados por um júri de cinco elementos. Embora jovens adolescentes, mostraram-se empreendedores, inventaram ideias para fazer negócios, delinearam planos de investimento, de marketing, de publicidade e de financiamento dos seus projectos. Cada equipa tinha entre quatro e cinco elementos e era coordenado por um monitor, ele aluno do Instituto Superior Técnico. Os prémios são bilhetes para o Rock in Rio

A iniciativa "Taguspark Empreendedor Júnior" foi organizada pelo Taguspark em parceria com a associação Aprender a Empreender, uma organização internacional sem fins lucrativos que está presente em Portugal desde 2005 e que tem como objectivo incentivar os jovens desde o ensino básico até à universidade a tornarem-se empreendedores.

Os jovens estão a aderir com entusiasmo às iniciativas desta associação. A equipa que ganhou os três dias de Rock In Rio foi a que apresentou um projecto para a criação de um chip de reconhecimento de imagem para telefone. Os sectores preferidos pelos jovens empreendedores foram o ambiente, as energias renováveis, o apoio aos donos de animais, a genética e até as tecnologias que permitem poupar tempo e divertir-se mesmo em trabalho. Em apenas 24 horas, saíram da cabeça dos jovens boas ideias de negócio, desde o aproveitamento de óleos alimentares para a produção de biodiesel, até relógios com GPS e roteiros turísticos.

É com agrado que se verifica haver no País matéria cinzenta de muita qualidade que merece ser apoiada com condições de investigação e trabalho para produzir as «ferramentas» úteis ao desenvolvimento da nossa economia e incrementar as exportações de equipamentos com inovações, de tecnologia avançada, e boas perspectivas de venda.

Indicam-se em a seguir links de posts que abordam aspectos animadores das capacidades de jovens:

- A política como trampolim
- A política não é atractiva
- Cavaco, Jovens e a democracia
- Duas etapas sensíveis na vida
- Investigador português recebe prémio no Canadá
- Francisco Veloso recebe prémio internacional
- Filipe Valeriano, Português que sobressai
- Cientistas portugueses em destaque internacional
- Jovens cientistas portugueses
- Jovens com prémios científicos internacionais
- Portugal vai ressurgir!!!
- Mensagem de Ano Novo do PR
- Excesso de assessores e má gestão não resultam bem
- Políticos não dão lições de liberdade
- Três estudantes portugueses premiados nos USA
- Tenhamos esperança nas novas gerações
- Jovens hoje, Líderes amanhã

12 comentários:

O Guardião disse...

Não sou adepto do partido do senhor Patinha Antão, nem de nenhum outro, diga-se, e acho que não é a juventude que anda alheada da política, nem os de meia idade ou os idosos, os políticos é que andam alheados da realidade. A cidadania não se esgota nos partidos, mas estes esmagam-na literalmente. O sistema funciona em função e em prol da lógica partidária, e isso não é saudável para a Democracia, assim nada se renova a não ser com rupturas, o que pode vir a acontecer.
Cumps

luis disse...

Tudo isto que foi dito é verdade e por isso mesmo será que a incompetência e a mediocridade existente na "desgovernação" verá com bons olhos o aparecimento de valores que a curto médio prazo os mandam para o lixo?
Julgo que é aqui que está o busílis!!!!!Não vão deixar que singram no nosso País. Infelizmente
se se quizerem valorizar terão que sair de Portugal!!!!!

A. João Soares disse...

Caro Guardião,
Em França o Rei Luís XIV intitulou-se o Rei Sol, «O Estado sou Eu». Os nossos partidos quando no Governo dizem o mesmo. Consideram que o povo lhes deu o voto para eles fazerem o que lhes vier à cabeça, esquecendo que são mandatários dos eleitores e devam agir em nome do povo soberano.
Em vez de, a cada momento, pensarem na melhor forma de defenderem os interesses nacionais, «raciocinam» apenas nas tricas partidárias, para manterem o Poder. Esses escândalo é bem visível na AR quando o PM lá vai trocar insultos com os deputados.
Um dos objectivos do Governo devia ser preparar o futuro País, o que passa pela formação dos jovens, dando-lhes capacidade de gestão de grandes problemas, com técnicas de estudo, de tomada de decisões, de planeamento, definição de estratégias, etc. Sem jovens bem preparados o futuro será muito incerto.
Abraço
A. João Soares

A. João Soares disse...

Amigo Laís,
Tens razão. Lembra-te que os Lusíadas têm como última palavra «inveja» e O grande épico não faria por acaso. É um mal do País. É por isso que hoje temos falta de médicos, porque durante muitos anos a Ordem, para que os médicos existentes não tivessem muita concorrência, inventaram o númerus clausus com notas muito altas a fim de reduzir o acesso aos cursos. É esse fenómeno que receias com os políticos. Segundo eles, é preciso não haver gente que lhes faça sombra. Sem o aparecimento de gente mais capaz, brilham os filhos dos clãs, que eram maus estudantes e se agarraram às jotas para fazerem carreira pela política, o curso seria depois acabado depois de terem feito uns jeitos aos professores como assistentes, consultores, etc. Há exemplos disso.
Um abraço
A. João Soares

Pata Negra disse...

Os jovens não vão com política, acordarão um dia quando lhes doer no lombo os resultados da acção política PS(D). Os pobres incendiarão carros e partirão montras, os ricos mudarão o nome das ideias e dos partidos e conformarão os pobres!
Depois iniciar-se-á um novo ciclo? Não sei! Da maneira que as coisas andam, ou se cai numa ditadura com liberdade de expressão ou vem aí o caos da revolução!
Um abraço pelo caos

A. João Soares disse...

Caro Rei,
A frase «incendiarão carros e partirão montras» é capaz de não ser demasiado imaginosa e talvez peque por não acrescentar saquearão os armazéns. Quando as massas entrarem em desespero, com fome e outras carências, de que já se começa a ouvir falar, tudo pode acontecer, e depois nem as forças policiais serão suficientes para acalmar e restabelecer a ordem porque os seus agentes estão também a sofrer o resultado da má governação de muitos anos seguidos.
Seria bom corrigir a rota e definir uma estratégia sensata, antes que seja tarde.
Um abraço
A. João Soares

luis disse...

O meu receio é esse mesmo cairmos numa revolução e aparecerem novos senhores que voltarão a fazer o mesmo que estes.E porquê digo isto porque não vejo que haja alguém com uma organização válida por trás que tomando o poder possa reorganizar o País e faze-lo andar para a frente. Nós estamos numa desorganização tal que difícilmente o barco tomará uma rota que nos possa levar a bom porto.

A. João Soares disse...

Amigo Luís,
Realmente, o pessimismo é justificado. Gostava de te dizer que não há razões para tanto, mas não tenho argumentos convincentes para isso. Repara no que está a passar-se nas afirmações dos candidatos à presidência do partido de alternativa ao actual Governo. Palavras a mais que não passam de promessas insensatas e tendência para a continuidade do pântano em que esse partido e outros meteram o País. Prometem mais do mesmo.
Seria bom que dos actuais jovens saísse uma pequena quantidade de pessoas dedicadas ao País, sem ambições de riqueza pessoal, sem corrupção, com seriedade, honestidade e dedicação ao bem estar da população, à maior causa pública de Portugal.
Um abraço
A. João Soares

ANTONIO DELGADO disse...

Há jovens de muita classe intelectual e nivel moral, não devemos é considerar que os jovens tenham de seguir aquilo que os politicos querem que eles sigam, nos pontos que mais lhes conveem.

Nisso os jovens têm nivel e estatura em não seguirem.

Um abraço fraterno
António

A. João Soares disse...

Caro António,
É disso mesmo que o País precisa. De Jovens que saibam o que querem para o Portugal do futuro, onde eles hão de realizar-se e estabelecer as suas famílias. Não podem deixar de abanar as mentes dos mais distraídos e lançar toda a população num novo rumo que torne o País mais moderno e progressivo, com mais justiça social e mais condições de felicidade.
Certamente, já não verei a progressão nessa nova via de desenvolvimento, mas tenho esperança de que a marcha nessa estratégia será iniciada nos mais próximos anos.

Abraço
João

Anónimo disse...

Olá João
Penso que vai gostar de espreitar este endereço que lhe envio. Talvez contrarieou, pelo contrário, vá ao encontro de muitas ideias aqui transmitida.
Cumprimentos
manuela

http://www.youtube.com/watch?v=qmUlMvplDL4

A. João Soares disse...

Cara Manuela,
Não consegui abrir este endereço apesar de ter feito várias tentativas. Se desejar, pode utilizar o e-mail que encontra no meu perfil.
Cumprimentos
João