domingo, 7 de fevereiro de 2010

Poluição tolerada

Estamos em plena preparação do grande dia cívico (20 de Março) em que os portugueses vão LIMPAR PORTUGAL, para suprir a incompetência, a incapacidade, a incúria, das autarquias que têm deixado criar lixeiras selvagens por todos os recantos da paisagem.

Apesar dessa campanha de sensibilização para o respeito pelo ambiente e a luta contra a poluição, surge mais uma notícia da Ribeira dos Milagres, no concelho de Leiria, que sofreu mais uma descarga poluente.

Como é possível que isto se repita há tantos anos sem as autoridades o evitarem? O que têm feito: os ministérios do Ambiente, da Administração Interna, da Justiça, as autarquias, o Governo Civil, a Protecção Civil, as organizações de defesa do ambiente, as populações? Quem é que já foi condenado por estas agressões ambientais? Serão as leis e as penas devidamente convincentes para serem dissuasoras? Estarão a ser fiscalizados os sistemas de efluentes de esgotos das suiniculturas? Haverá sistemas de tratamento desses focos de poluição? Haja alguém com autoridade que explique aos contribuintes a razão de destes crimes ecológicos, que se repetem já há muitos anos, continuarem a ser tolerados e aceites, sem coimas ou outros penalizações desencorajadoras.

6 comentários:

O Guardião disse...

O combate à poluição não pode ficar restrito a um só dia, pois como se vê pela Ribeira dos Milagres há porcos que aproveitam para fazer porcaria sempre que a vigilância afrouxa e quando lhes apetece.
Sai mais barato, confessaram já alguns.
Cumps

Luis disse...

Caro João,
Isto só acontece por incúria das autoridades. Até quamdo isto se mantêm? Nem com a Operação em curso de LIMPAR PORTUGAL "eles" acordam!!!
Um abraço amigo.

Compadre Alentejano disse...

A Ribeira dos Milagres é isso mesmo! Faz o milagre dos poluidores ficarem impunes...
E, afinal, o homem é mais porco que o próprio porco...
Abraço sem poluição
Compadre Alentejano

A. João Soares disse...

Caro Guardião,

Um grande mal reside no sistema legislativo e jurídico, feitos á medida dos interesses dos criminosos de forma a que o crime compense. Devia ser o contrário. O que devia compensar era ser cumpridor e usar de civismo em todos os momentos. Para isso tínhamos que ser um Estado de Direito, governado por pessoas de princípios éticos.

Um abraço
João

A. João Soares disse...

Caro Luis,

A operação serve para alertar as pessoas para o problema. A seguir é preciso uma actividade denunciadora dos criminosos e das autoridades que não fiscalizem e não punam. O povo tem que passar a exercer o seu direito e dever de cidadania democraticamente.

Um abraço
João

A. João Soares disse...

Caro Compadre,

É preciso dar a volta a estes vícios, cuja culpe é fundamentalmente de quem devia detectar e condenar mas fica indiferente. Que interesses estarão por detrás? Quantos políticos têm interesses nessas pocilgas? São todos os mesmos.

Um abraço
João