quarta-feira, 16 de março de 2011

Governantes decidem sem pensar

Grandes decisões com graves repercussões na vida dos portugueses parecem ser tomadas por instinto, palpite, teimosia ou interesses ocultos, sem ter em atenção os objectivos nacionais, os interesses do País e as repercussões na vida dos portugueses e sem analisar cuidadosamente as várias alternativas, para escolher a melhor.

Depois, apesar da arrogância do chefe do Governo, quando algo os faz descer das nuvens de fantasia, ao colocarem os pés em terra, têm de recuar, como demonstra a notícia Governo recua e já não baixa preço dos medicamentos vinda hoje a público.

Senhores governantes, senhores gestores públicos, por favor, aprendam a pensar antes de decidir, porque os erros ficam muito caros ao erário, causam desprestígio, retiram a confiança que seria vantajosa ao País e impedem qualquer esperança de um futuro menos mau.

Imagem da Net

2 comentários:

O Guardião disse...

Sócrates já pensa nas eleições e precisa de quem "pague" a campanha.
Cumps

A. João Soares disse...

Caro Guardião,

Claro que pensa. Sempre pensou na melhor forma de enriquecer e obter poder sobre a macacada que vai na sua cantiga. E, como pensa, não pode arriscar perder apoios importantes para os seus boys e para ele próprio.
A táctica de bando tem sempre presente que «quando se zangam as comadres sabem-se as verdades». E há verdades que não lhe convém deixar espalhar. É por isso que não quer a vinda do FMI para não serem conhecidas as instituições e outras manigâncias de apoio aos «boys». Veja Dezenas de institutos públicos a extinguir

Um abraço
João
Sempre Jovens