sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Acidente dramático por negligência

Acerca da derrocada da falésia na praia Maria Luísa em Albufeira, uma visitante do blogue do Miradouro deixou o seguinte comentário no post «segurança dos cidadãos inexistente!!!» Um título de post que vem mesmo a propósito! Estou revoltadíssima, amigo João Soares. Arrepio-me só de falar dum tema tão a propósito hoje. Como pode este governo que nem chega ao valor de "pataca e meia", dar a cara ao País quando negligenciou coisas que eu, simples cidadã Portuguesa, venho vendo há tantos anos?

Desde sempre me preocupava não colocar a minha família sob a ameaça de queda de falésias no Algarve, quando íamos para as praias lindíssimas daquele recanto do nosso País. Desde sempre pensava porque seria que proibiam os peões de pisar as bermas no topo das mesmas e não vedavam a passagem das pessoas cá em baixo, na praia, mesmo por debaixo desses blocos de terreno? Não compreendo, amigo João Soares, não compreendo. Sinto-me de luto pela notícia que hoje ouvi e que nos envergonha. Se eu, como simples cidadã, repito, via estas coisas, porque é que o Governo não viu que isto podia acontecer e não alertou o presidente da câmara de Albufeira?

É motivo para eu perguntar, gritar bem alto: WHY??????? As minhas lágrimas caem pelo sofrimento das vítimas (não sei quantas e se houve mais do que uma) e das suas famílias. Pobre País, o nosso. Faltava só mais esta!

Maria Letra

Respondi da seguinte maneira:

Minha querida Amiga,

Foi por este seu comentário recebido por e-mail que tive conhecimento da derrocada da falésia. Pelos vistos, o perigo era iminente há muito tempo, o que leva a interrogar as autoridades:
- da protecção civil desde o governo até ao serviço municipal;
- da Câmara Municipal;
- da Autoridade Marítima.
Que medidas deviam ter sido tomadas e não foram para evitar o acidente ou, se ele ocorresse, para reduzir os seus efeitos nefastos.
Porque não foi feito um gradeamento por forma a evitar a passagem e a paragem de pessoas na área de perigo?

Falta de responsabilidade generalizada. As pessoas candidatam-se aos cargos a pensar nos seus interesses pessoais e cientes de que gozam de imunidade e de impunidade.

É de lamentar. E será bom que os eleitores não se esqueçam disto no momento de votarem.

Sobre este acidente, além de outras notícias podem ser lidos os artigos:
- Duas pessoas soterradas na derrocada de falésia em praia de Albufeira
- "Viu-se uma nuvem de poeira e as pessoas começaram a gritar"

2 comentários:

Maria Letra disse...

Amigo João Soares,
Este incidente, por muito que venham atirar-me areia aos olhos, podia ter sido evitado se tivessem vedado COMPLETAMENTE, a passagem para a zona em perigo. Tanto sabiam ser perigosa que, dizem, tinha lá um aviso que, facilmente, passava despercebido. E, depois, vêm dizer à televisão que fizeram a análise da arriba a semana passada e que constataram não haver o risco de derrocada. Isto revolta o mais indiferente cidadão. Que diabo de análises são estas que o próprio incidente revela duma mediocridade intolerável? Não havia lá uma grossa fenda? Podemos prever um sismo? Não podemos. Então, em situações como estas, em que existe a possibilidade de derrocada, há que prevenir ... não vá surgir um inesperado sismo e o pior acontecer. Refiro estes pontos de perigo já que, infelizmente, não podemos prever onde os sismos abrem fendas no terreno.
SEMPRE me recusei a que a minha família fosse para a base duma falésia, contudo, sabemos muito bem que há pessoas duma insconsciência chocante e, para evitar termos de ser confrontados com dramas deste tipo, que arrastam perdas de vidas, sofrimento e, para não referir mais, despesas evitadas para um País que já está num estado de estrangulamento que faz pena, há que tomar as precauções necessárias e vedar, de forma eficaz, o acesso a estes locais.
Eu continuarei com o coração apertado pois há mais locais como este, no Algarve e mais gente que continuará a dormir, mesmo estando acordada, a deliciar-se numa costa que reconhecemos todos ser maravilhosa.
Um abraço.
Maria Letra

A. João Soares disse...

Minha querida amiga,
Há locais da costa que estão a ser consolidados para evitar quedas de pedras ou derrocadas, sendo do meiu conhecimento directo a linha de Cascais não só junto do comboio, como da estrada Marginal, como do «paredão», passeio para peões entre a praia e a arriba.

Mas não me admira que surja um aproveitamento a sobrevalorizar o aviso pouco esclarecdor e a tal análise de pouco rigor: apesar do forte sismo que causou a derrocada, houve apenas 5 mortos devido à eficiente acção preventiva do Governo, e da Protecção Civil que colocou avisos e fez análises da escarpa e, logo que aconteceu o incidente, correu de imediato com o PM, o ministro do Ambiente, o secretário de Estado da Protecção Civil e outras entidades sintonizadas com as preocupações do Governo, para socorrer os atingidos e dar ajuda psicológica aos familiares.

Político é assim, explora tudo quanto possa favorecer a sua campanha.
Talvez não esteja errado com esta previsão!

Beijos
João