quinta-feira, 8 de abril de 2010

O Glutão Devorador

Veja como tudo é fácil para o glutão devorador enquanto as vítimas continuarem apáticas e não reagirem com eficácia.

4 comentários:

Fernanda disse...

Querido amigo João,

Falta mais alguma coisa que ele posso devorador???

Ele come tudo, ele come tudo, ele come tudo e não deixa nada....

Muito bem feito, num instantinho fixou tudo dito.
Palavras para quê? é o Glutão Português, o melhor do Mundo.

Beijinhos

A. João Soares disse...

Querida Ná,

Não podem viver sem devorarem a seiva de quem trabalha com suor. Os que «trabalham» sem suor, normalmente sob a asa do Poder, esses escapam à acção do glutão, porque entre eles há a pressão da cumplicidade, porque quando as comadres se zangam ficam a saber-se muitas verdades.
Há a troca de favores de atenções, de presentes, mesmo que no meio tenham de dar guarida a sucateiros.

Beijos
João

Luis disse...

Caro João,
Post muito oportuno e muito verdadeiro! A imagem escolhida foi muito feliz clarificando os Glutões que proliferam pelo nosso desgraçado país!
Um abraço amigo e solidário.

A. João Soares disse...

Caro Luís,

Realmente, como dizes «desgraçado País» que tem um nível moralmente miserável de onde surgem estes parasitas e que não tem capacidade para se organizar e fazer um eficiente desparasitação.
É pareciso que os portugueses despertem e actuem contra este estado de coisas. Mas não tenhamos ilusões: das reformas e revoluções quem ganha não é o povo ,as os políticos posteriores, os que ganharem o golpe. Temos visto isso desde Afonso Henriques, passado pelas guerras de Nino Álvares Pereira, pela Restauração de 1640, pela implantação da República, pelo 28 de Maio e pelo 25 de Abril.
Repara que, em contrário a alguns desses golpes, as mulheres alentejanas vão parir a Espanha, o mesmo está a acontecer com os doentes do Alto Minho que vão a Tuy e a Vigo tratar da Saúde.
O povo está para os políticos como o mexilhão para o mar que bate na rocha, ou a relva dos estádios para os jogadores que a pisam. O povo deve aprender a reagir com determinação, porque em democracia a soberania reside nas pessoas, mas para isso, estas devem estar esclarecidas, organizadas e saber reagir de forma eficaz.

Um abraço
João