sábado, 27 de agosto de 2011

Continuam «boys» com «jobs»

O actual Governo «já fez 492 nomeações para os gabinetes dos ministros e secretários de Estado, com custos salariais superiores a 1,5 milhões de euros», conforme notícia do JN. Diz a notícia que Miguel Relvas «já nomeou 65 pessoas, com custo global de mais de 150 mil euros».

Isto mostra que mudou o partido no Governo mas não mudaram os vícios antigos em que, como agência de emprego, é preciso criar «jobs for the bois» embora se afirme que hão-de (promessas) fazer corte «histórico» nas despesas do Governo.

Seria aceitável se os 492 nomeados, sem concurso público, fossem competentes e agissem no melhor sentido dos interesses nacionais. Mas receio que entre eles haja vários como o(a) anónimo(a) Manuel, a receberem lautas remunerações para executarem actos menos dignos. Este ou esta (na ficha de blogger não indica sexo) deve ter recebido ordem para incomodar o bloguista «Mentiroso» num seu post que não é agradável ao PM, para isso criou ficha no Blogger (vale a pena vero perfil nela constante) a fim de ter mais credibilidade e não ser um simples anónimo. Chamou ao autor cobarde, anónimo, com mau carácter e com um ego mal criado e classificou de calúnia e difamação o escrito, mas acabou por admitir que o PM não seja um Santo. É estranho que não tenha procurado saber mais acerca do autor através da ficha deste bloguista, da quantidade de blogs em que colabora e o seu conhecido estilo, forte mas bem apoiado em factos.

Fez apenas três comentários e no terceiro, mostra o receio de que em breve «os amigos criminosos da esquerda voltarão ao poder» e faz uma alusão ao «Júlio de Matos» que eventualmente conhece por dentro.

Fez-me recordar um «boy» do PS que se identificou também com fichas do mesmo género como Leandro numa e Bernardo noutra, mas que mostrou mais inteligência, coerência e capacidade de argumentação ao longo de 8 comentários. O(a) Manuel não conseguiu ir além de três em que mostrou o nulo valor que tem.

Mas com este estilo ou com outros, para tarefas como esta ou outras, a notícia diz que Portugal gasta dos nossos impostos 1,5 milhões de euros com 492, especialistas ou assessores ou «boys» ou «girls», nomeados sem concurso, por amiguismo, clientelismo ou conivência.

Continuamos à espera do cumprimento das promessas feitas e repetidas. Esperamos medidas inovadoras que venham a ser históricas no melhor significado. Das que já são históricas, não desejamos a repetição por nos terem conduzido à crise.

Imagem do Google

2 comentários:

O Guardião disse...

Historicamente a caminho de mais um recorde de bandalheira com nomeações de boys e girls dos partidos que estão no (des)governo.
Cumps

A. João Soares disse...

Caro Guardião,

O povo diz que mudam as moscas mas o cheiro continua o mesmo. Um sábio de há vários séculos aconselhava o seu senhor de que «é preciso que algo mude para ficar tudo na mesma». O pouco que muda serve apenas para domesticar a multidão e evitar sobressaltos.

O mal está no sistema e nos vícios e manhas adquiridos. Apesar de agora prometerem mudanças «históricas», não se vêm sinais de verdadeiras mudanças estruturais. E não é a multidão de «boys», quer sejam chamados de assessores ou de especialistas, que ajudarão a purificar o regime, pois o seu único objectivo é receber o máximo de benesses e governarem-se à custa do tráfico de influências, sempre com prejuízo para o erário público. Mas o resultado das últimas eleições deveu-se ao esforço daqueles que agora recebem a recompensa com os tachos habituais.

E convém não os desgostar para nas próximas eleições poderem contar com o seu entusiasmo.

Abraço
João