quinta-feira, 4 de agosto de 2011

O que mudou?

Parece que só mudaram as moscas, isto é, os nomes dos boys e outros pormenores de aparência. Em vez dos PECs de Sócrates, vamos ter os orçamentos rectificativos. Á semelhança dos PECs número um, dois, etc, agora são-nos prometidos os rectificativos primeiro, segundo,…

E o povo tem que aguentar com «ânimo e esperança» como lhe é pedido???!!!

Imagem do Google

7 comentários:

Campista selvagem disse...

Finalmente alguem deu conta da marosca.
é todo igual,na maiuria dos casos é pior, estes Srs, só queriam poder, um presidente uma maiuria (professia de Sá Carneiro) aí a têm, quiseram agora aguentem, pena é que não sejam mais severos o povo merece, só à lambada é que aprende...

Manuel C. disse...

o mundo tem que levar uma grande volta... podemos começar ja pelo cantinho a beira mar plantado, a que damos o nome de Portugal.

revolução JÀ! (ou assim que o povinho tenha forças para lutar contra esta "anestesia" que vai sendo administrada aos poucos...)

A. João Soares disse...

Caros Campista Selvagem e Manuel C.,

Para onde estão a levar PORTUGAL?
Em vez de vermos a correcção dos erros destes quase 40 anos, constatamos o seu agravamento, com o crescente enriquecimento dos mais ricos, incluindo os políticos, à custa do maior empobrecimento dos mais carentes e da classe média. Em vez da redução do fosso entre os mais ricos e os mais pobres e da simplificação e eficácia da máquina do Estado, vemos o seu aumento e o «emprego» de mais «especialistas» no saque, com a crescente exploração dos contribuintes, com o agravamento de serem criados «impostos extraordinários» sem escalões com a mesma fórmula matemática aplicada a todos os contribuintes desde o mais pobre ao milionário.

E perante isto o que faz o heróico, genial, esfíngico Presidente? Ele que fez comunicações ao País acerca do Estatuto dos Açores, das «escutas ao seu telefone e, a «brilhante» justificação que deu dos casamentos de gays e lésbicas, agora, perante a situação que estamos a atravessar, limitou-se a sair do crónico estado de «tabu» para nos dar, informalmente o conselho «genial» de que devemos ter ânimo e esperança. !!! Enfim, mais uma tirada original, muito sábia, muito adequada a manter o rebanho a caminho do açougue, obediente, sem reclamar.

O acordar do povo, pode ser demasiado traumático, como o são todas as grandes mudanças. Mas será difícil evitar uma convulsão. É preferível arriscar os inconvenientes de uma cirurgia do que andar com paliativos que deixam agravar a doença e não evitam uma morte a curto prazo. Os sinais existem na nossa vizinhança, os estímulos vêm da Europa e suas proximidades geográfica. Seria bom que os governantes aprendessem a lição e não se limitassem a obedecer cegamente aos donos do capital e que o catedrático mostrasse a sua superioridade inerente ao cargo e à sua vida académica e se deixasse de apenas usar «água destilada» para curar o cancro que a todos nós aflige.

Cumprimentos
João

Cumprimentos
João

Zéfoz disse...

Subscrevo por inteiro. Infelizmente o tal "cancro" tem metásteses muito difíceis de estirpar...

A. João Soares disse...

Caro Zéfoz,

Com tais metástases, a situação é fatal. Por isso vale a pena proceder à cirurgia, sem adiamentos, para extrair o cancro e tentar a salvação.
Para isso, não podemos conformarmo-nos, pachorrentamente, com ânimo e esperança.

Não podemos continuar de braços cruzados à espera de milagres.

Abraço
João

Manuel C. disse...

Carissimo João (gostei muito e subscrevo o seu comentario), e restantes comentadores:

tendo eu bases economicas bastante humildes, e niveis de estudo limitados, como grande parte da populaçao Portuguesa, deixo o destino do meu pais a quem supostamente deveria ter mais capacidade e habilitaçoes para o levar a bom porto!

ora temos que:

"Em politica, raramente as qualidades de um bom governante existem em alguem com as qualidades oratorias e de manipulaçao humana que o levem a ser eleito."
alguem dixit algo parecido com isto. ( nao me recordo do autor, nem da frase exacta... apenas recordo a essencia )

por outro lado,

-quem rouba um tostao e ladrao!
-quem rouba um milhao, desvia fundos!
-quando desaparece um biliao, jamais se encontrao os culpados!

isto para dizer que as forças de segurança so estao preparadas para lidar com "pilha-galinhas" , e para oprimir e manter na ordem ( quase usava tambem o termo extorquir, mas nao tenho coragem ) o povinho, iletrado e com o cerebro demasiado ocupado com as novelas e futebol!

existe entre o povo um clima de falta de informaçao, pouca vontade, excesso de opressao aliada a algum medo, rara percepçao da realidade economico-politica e social, isto tudo junto com uma partidarite aguda alimentada ao longo de anos, que leva a que a parcela mais asfixiada economicamente em prol de uma minoria rica, continue a "confiar" no destino que nos vao traçando!

infelizmente o povo demora demasiado tempo a acordar. a anestesia foi demasiadamente bem aplicada... so espero que nao tenha sido fatal!

A. João Soares disse...

Caro Manuel C.

As suas afirmações são muito sensatas e oportunas. O seu texto mostra que está muito acima da média do povo português, que vive amedrontado e sem capacidade para raciocinar expressar-se de forma isenta e apartidária. Parece estar ainda subjugado pelo medo da Inquisição e das cruzadas, acorrentado ao seu partido e considerando os outros como «infiéis».
O meu partido é PORTUGAL e procura raciocinar livremente. Custa-me ver políticos com discursos patrióticos e sensatos quando estão na oposição e mudar de atitude logo que se sentam na cadeira do Poder. «Será que o poder impede o discernimento e a actuação segundo os melhores princípios e valores?».

Parece que estão a arrastar o País para uma convulsão social de grave violência. É pena não aprenderem a lição do Norte de África e do caso de Breivik na Noruega. Entretanto o PR limita-se ingenuamente a agir como água destilada Cavaco pede ânimo e esperança para ano “de grande exigência”.

Um abraço
João