sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Pensar antes de comprar carro

Pormenorizando a metodologia «pensar antes de decidir», transcreve-se o seguinte artigo do Diário Económico, com a intenção de ser útil aos leitores deste espaço e aqueles a quem difundirem estas dicas.

Cinco dicas a ter atenção antes de comprar um carro
Económico. 26/08/11 00:05. Sara Piteira Mota

Preço, custos de utilização, emissões de CO2, são alguns dos critérios a considerar.

A compra de um carro novo foi "atirada" para o fim da lista de prioridades. Mas se está a ponderar comprar um automóvel "em conta" saiba que terá que renunciar a alguma sofisticação e a desempenhos considerados "supérfluos".

Antes de comprar deverá ter em atenção o preço do mesmo, sem dúvida. Mas não só. Dentro das variáveis a analisar neste processo deverá considerar ainda os custos menos imediatos, mas que no ciclo de vida do automóvel ganham importância.

1 - Avalie as necessidades no momento e no futuro
Normalmente, o veículo será para utilizar durante alguns anos e, por isso, deve pensar-se também no futuro e nos planos que possa, eventualmente, ter nos próximos anos. Por exemplo, constituir família, ter filhos, o aumento dos combustíveis, combustíveis alternativos, etc. Assim, mais importante do que procurar o que quer, o consumidor deverá ter a noção exacta do que realmente precisa.

2 - Tenha em conta o tipo de utilização
Condução urbana, extra urbana ou mista, ou ainda o número de quilómetros que fará anualmente. Estes são alguns critérios que deve ter em conta. Caso faça muitos quilómetros em cidade a melhor opção será a compra de um veículo com menores consumos e combustíveis mais baratos, ou até alternativos (híbridos, eléctricos). No entanto, se prevê fazer muitos quilómetros diários, as opções a diesel poderão ser uma melhor opção.

3 - Custos de manutenção
Opte por um veículo cujos custos de manutenção estejam dentro do seu orçamento. Dois carros podem ter o mesmo preço de compra, mas custos de manutenção muito díspares. O melhor modelo é sempre o que tem melhor qualidade e a tecnologia mais evoluída. Bons materiais e acabamentos são garantia de uma maior longevidade. E a tecnologia dá os outros valores essenciais da equação: economia e segurança, fundamentalmente.

4 - Quanto tempo quer ter o carro
Pondere sobre o tempo que quer manter o veículo em sua posse. No caso de pensar em vender o automóvel poucos anos após a compra tenha em atenção as marcas que desvalorizam menos. Se, no entanto, pretender ficar com o veículo por muitos anos o factor desvalorização torna-se menos preponderante no acto da compra.

5 - Atenção ao Crédito
As limitações do crédito ao consumo têm aumentado. A maior parte dos concessionários têm vindo a reforçar a oferta de múltiplas soluções. Ao nível das taxas praticadas entre os bancos e um financiamento intermediado por um concessionário existe pouca diferença. Por exemplo, a Renault através da RCI Banque, tem um produto financeiro de crédito dedicado aos particulares intitulado "Cash Back" com o apoio à entrada inicial do cliente (que pode chegar até aos 2.800 euros) o que reduz significativamente o capital financiado. A taxa média deste produto ronda os 7,5%, mas com o apoia à entrada, poderá atingir valores negativos.

Imagem do Google

2 comentários:

Campista selvagem disse...

Bons conselhos, no entanto se nada de anormal se passar esta década não me parece pocivel tão pouco olhar os stands.

Pedro Fonseca disse...

Tive de ponderar em comprar um segundo carro para a família, era mesmo necessário.

No final das contas comprei uma Honda 125CC e foi a melhor compra que podia ter feito, só tem a desvantagem de quando chove é um pouco chato.

Serve para as minhas viagens diárias (45km) casa-trabalho-faculdade-casa e com as vantagens de gastar apenas 3L aos 100, estacionar em qualquer lado e não existem filas de trânsito.

Por isso antes de pensarem em comprar carro considerem uma mota e façam um reflexão sincera sobre o assunto.