quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Alexandre o Grande

Os 3 últimos desejos de ALEXANDRE O GRANDE

Por isso ele era chamado de 'O GRANDE':

1- Que o seu caixão fosse transportado pelas mãos dos médicos da época;

2- Que, no caminho até o seu túmulo, fossem espalhados os seus tesouros conquistados (prata, ouro e pedras preciosas);

3- Que as suas mãos fossem deixadas balançando, fora do caixão, à vista de todos.

Um dos seus Generais, admirado com estes desejos insólitos, perguntou a ALEXANDRE quais as razões dos pedidos e eis a resposta que recebeu:

1- Quero que os médicos mais iminentes carreguem o meu caixão para que se verifique que eles NÃO têm poder de cura perante a morte;

2- Quero que o chão seja coberto com os meus tesouros para que todos possam ver que os bens materiais conquistados, aqui permanecem;

3- Quero que minhas mãos balancem ao vento para que as pessoas possam ver que de mãos vazias viemos e de mãos vazias partimos.

Dá que pensar, não??? Principalmente aos políticos com ética(se os houver !)

7 comentários:

Luis disse...

Caro João,
Já tive o prazer de comentar este post no blog Sempre Jovens mas volto a dizer que o que falta actualmente nos lideres é ÉTICA! Mas eles criaram uma teia envolvente que os não deixa sair nem cair. O Povo está tolhido e nada pode fazer para contrariar tal estado de coisas, infelizmente!!!!!
Um abraço.

A. João Soares disse...

Caro Luís,

Que diferença entre a noção que Alexandre O Grande tinha do pó em que ia tornar-se e a arrogância dos nossos governantes, actuais e anteriores!!! O valor das pessoas mede-se mais pela sua humildade oportuna do que pela arrogância, ambição e ostentação.
Nós realmente não somos nada e, depois de nos apagarmos, o mundo continua na mesma sem sentir a nossa falta.
Os poderosos não têm poder para evitar a morte, Os médicos são impotentes e incapazes de a evitar e os ricos deixam cá a riqueza talvez para ser desbaratada.
Para quê os nossos políticos se meterem em tanta corrupção sem respeito pela ética, para quê explorarem o povo para gastarem loucamente e enriquecerem os familiares e amigos, se depois morrem como os mais pobres?
Deviam pensar nas vontades de Alexandre, se conseguissem pensar.

Um abraço
João

Maria Letra disse...

Este texto trouxe-me a recordação dum dos meus poemas onde escrevi:
Aqui, jaz
Alguém que já nada faz,
Nem, provavelmente,
O fez alguma vez.
Na caixa que o encerra,
Deixa que a terra
O reduza à sua origem,
À sua expressão mais virgem.
Para ele,
O Deve e o Haver
Já não têm Razão de ser.
Para muitos,
A Contabilidade
É uma necessidade,
Uma afirmação
Da sua situação
Na vida.
O seu valor humano,
É directamente proporcional
Ao valor
Do seu Capital.
É um conceito desumano.
Mas é assim.
Etc...
Mas o que é facto, João Soares, é que um elevado número de "pavões", que estão só de passagem por este mundo, estão convencidos de que essa passagem não é efemera e que valem, realmente, pelo que têm. São os tais cuja riqueza material é elevada, mas a espiritual é paupérrima. E é desses que eu tenho pena.
Um abraço.
Maria Letra

A. João Soares disse...

Cara Amiga Mizita,

Quem realmente valor não se deixa escravizar pelos ge´bens materiais. E uma lição como esta de Alexandre só pode ser dada por um Homem realmente GRANDE.
É uma lição que devia ser assumida pelos políticos e outros poderosos efémeros (como é a vida de todos).

P.S.: Se quiser ter a amabilidade de me enviar a poesia completa, publicá-la-ei aqui neste blogue. Mas o ideal seria a Mizita publiocaá-la no Sempre Jovens.

Um abraço
João

Maria Letra disse...

Obrigada, amigo João Soares, mas essa poesia foi publicada no Sempre Jovens a 21/03/2009 e mereceu um simpático comentário Seu, na altura.
Os políticos, João Soares, não querem aprender nada. Eles querem é ganhar o máximo que puderem e o resto não importa.
Maria Letra

A. João Soares disse...

Cara Mizita,

Eles serão obrigados a aprender por pressão do povo, e se se descuidam a aprendizagem poderá ser-lhes muito dolorosa. Na Revolução Francesa o Rei que era um tirano foi executado. Os tempoe são outros, mas nunca fiando.

Abraço
João

Bruno disse...

"Dá que pensar, não??? Principalmente aos políticos com ética(se os houver !)"

estaria o mundo e o nosso pequeno portugal bem melhor se os houvesse...

mas acho que politica e ética, infelizmente há muito que se incompatibilizaram!

grande abraço!!