sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Em quem acreditar ???

O estilo «cana de bambu», flexível mas resistente, evidenciado em palavras sem «palavra» está demasiado difundido pela ‘classe’ política ao ponto de haver défice de credibilidade e não sabermos se podemos acreditar em alguém.

Depois da notícia de que Marques Mendes denuncia empresas públicas que duplicaram remunerações, surge outra de que Governo desmente Marques Mendes, o que pode ser mais um desmentido por hábito de protocolo. Não parece fácil crer que Marques Mendes tenha caído em erro nessa matéria, depois de ter mostrado capacidade para investigação trabalhosa e cuidada como se vê em «Onde se cortam as despesas públicas???» e em «Dezenas de institutos públicos a extinguir», o que não tem merecido contestação e até parece ter sido aproveitado pelo Governo como se depreende da notícia «Organismos e institutos a extinguir são divulgados hoje».

Por outro lado, também concorrem para o défice de credibilidade os sinais de desentendimentos internos como é referido em «Seguro e Alegre em sintonia ?» e o conflito entre o deputado Victor Baptista e André Figueiredo que parece ter provocado a reunião urgente da Comissão de jurisdição do PS.

Enfim, em quem poderemos acreditar? Que esperança podemos ter de que os sacrifícios que nos são exigidos irão produzir efeitos positivos no futuro dos portugueses?

Imagem da Net

6 comentários:

Luis disse...

Caríssimo João,
Em quem não acredito sei eu bem!!!
Não acredito na maioria dos nossos politicos que são mestres em mentirem com quantos dentes têm na boca... E vergonha é que não têm!!!
Quanto ao Marques Mendes acredito no que diz pois é do conhecimento geral os gastos superfluos que há com os Institutos e Fundações e outros organismos do genero que só servem para empregar os bois de todos os partidos que estiveram no poder!
Um abraço amigo.

O Guardião disse...

Infelizmente nenhuns me oferecem o mínie cada vez menos esclarecidos.
Cumpsmo de confiança para que pense sequer em votar neles. Há incautos que ainda vão legitimando o poder, mas são cada vez menos

A. João Soares disse...

Amigo Luís,

Eles vivem acima das nossas possibilidades!!! Já dificilmente conseguem tirar-nos mais para depois sustentarem os luxos, consumismos, mordomias e tachos como os referidos pelo Marques Mendes.
As peixeiradas na AR são incríveis. Com o País a precisar de soluções, perdem o tempo a chamar-se mentirosos, como se essas verdades não fossem já conhecidas por todos os telespectadores.

Um abraço
João

Sempre Jovens

A. João Soares disse...

Caro Guardião,
Quanto ao voto . Na dúvida devem receber um voto em branco, Nas legislativas isso é lógico porque nos apresentam uma lista com nomes desconhecidos, por vezes, estando alguns com processos a correr nos tribunais.
Depois aparecem as trafulhices mais disparatadas. Gamar gravadores acaba por ser um pecadilho sem importância.

Abraço
João
Sempre Jovens

Pedro Coimbra disse...

Caro João,
Que tal sugerir ao deputado esfomeado que se junte ao deputado pilha-gravadores?
São ambos Ricardos, militam no mesmo partido, e podem vender os gravadores na candonga e comprar umas sandes de coiratos com o produto da venda.
É só uma ideia....
Abraço

A. João Soares disse...

Amigo Pedro Coimbra,

Isto de eles se queixarem é um «show-of», palhaçada, espectáculo de baixa qualidade e de intenção muito duvidosa. Nenhum se sente sacrificado ao ponto de sair e ir procurar trabalho cá ou no estrangeiro. A passagem pela AR é uma etapa de que gostam, que lhes permite trocar umas atenções com fortes agentes económicos e singrar na carreira de «provincianos deslumbrados», como c«disse José António Saraiva.

Um abraço
João
Sempre Jovens