quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Maitê Proença, vergonhosa

Gosto de chamar a atenção para algo que considere necessário melhorar, mas sem ofender as pessoas na sua qualidade com defeitos e virtudes, como seres humanos. Tenho respeito por todo o ser vivo e seria incapaz de ofender os brasileiros ou os naturais de qualquer país. Mas não posso deixar de verberar a insensatez e a maldade viperina desta pessoa que veio a Portugal colocar muito mal vistos os nossos amigos brasileiros, porque os portugueses menos informados não deixarão de ceder à tentação de generalizar. Esta pessoa merece ser socialmente criticada no seu País e proibida de entrar em Portugal.
Transcrevo o post colocado por Ana Martins no Sempre Jovens.

Maitê Proença. Vejam o vídeo e divulguem por favor

A todos os leitores, amigos e visitantes deste espaço quero aqui formalizar a minha indignação pela atitude da actriz brasileira Maitê Proença, aquando da visita dela a Portugal.
Maitê Proença não se poupou a esforços para ridicularizar Portugal e portugueses, mas na verdade só demonstrou a sua total ignorância e ridícula foi ela.

Ana Martins

Segue-se o texto recebido por e-mail

Vídeo:
http://www.youtube.com/watch?v=1GCAnuZD7bk

Este vídeo foi para o ar no programa Saia Justa. A actriz (?) e escritora (?) Maitê Proença estava em Portugal por causa de uma peça teatral e aproveitou o seu momentos de horas vagas (?) para fazer algumas imagens para o quadro do semanal do canal GNT. A pergunta é: como isso foi para o ar? O tema? Aquele mesmo assunto pobre de sempre: gozar com os portugueses. Como isso ainda não basta, ela terminou o vídeo cuspindo. A pergunta é novamente: para quê? Será um laboratório para ela ser “o próximo chafariz” da nova novela da TV Record?

Todo o vídeo é uma ofensa a Portugal e aos portugueses. Começa por ir a Sintra para mostrar uma porta de uma casa aparentemente comum com o 3 virado para a direita e, sem perceber o significado esotérico, zoa com os portugueses, pois diz que aquilo demonstra que está em Portugal - os caras nem sabem colocar direito um algarismo numa porta! Só vai a Sintra, que tem imensos monumentos, castelos e palácios, para gozar com aquilo.

Depois goza com o Tejo ser, para os portugueses, o mar, quando na realidade ela está junto ao Estuário do Tejo, onde o rio desagua no mar e ambos se confundem. Fala também no Salazar, de que ela não sabe nada, imaginando que, por ter sido um ditador, foi igual a Hitler ou a Mussolini. Goza com o túmulo de Camões, com o estilo arquitectónico manuelino, enfatisando o Manuel, nome injuriado no Brasil nas piadas de português e fala também no episódio no Hotel com o seu PC, quando o Hotel tem áreas de Internet e se tinha problemas com o seu Computador pessoal, deveria usar o equipamento disponível no Hotel para os clientes. O Hotel não tem obrigação de reparar os equipamentos pessoais dos clientes, sejam PC's ou carros ou máquinas de barbear ou sei lá o quê.

Eu acho que ela vai ter muita vergonha quando souber das reacções dos portugueses ao vídeo e vai pensar duas vezes antes de voltar a falar do país e dos seus habitantes. Infame, só revelou ignorância e rancor, talvez dor de cotovelo.

Enfim... vejam o vídeo e, por favor, divulguem:

http://www.youtube.com/watch?v=1GCAnuZD7bk

Publicada por Ana Martins

8 comentários:

Fernanda disse...

Caro amigo João,

Trancrevo, e assino por baixo "Esta pessoa merece ser socialmente criticada no seu País e proibida de entrar em Portugal."

Inqualificável.

Fernanda Ferreira

Fernanda disse...

Amigo João,

Comentário de uma amiga Brasileira por e-mail.
"Fernanda, vi o vídeo no jornal da TVI e acho que isso ainda vai dar muito "pano pra manga". Atitude infeliz, da moça.

beijos da Mila".

Beijos
Fernanda Ferreira

Maria Letra disse...

Amigo João Soares,
Transcrevo aqui o mesmo comentário que fiz no "Sempre Jovens", onde escrevi:
Atitudes deste tipo, já não me surpreendem, infelizmente. Tenho visto tanta coisa do género ... Menos ainda se feitas dum modo tão de baixo nível, aproveitando, a dado momento, cobardemente, a ausência dos técnicos portugueses para dizer o que disse.
Apetecia-me perguntar-lhe como se sente sabendo que centenas e centenas de compatriotas seus, vêm para Portugal e é-lhes dada a possibilidade de trabalhar? Não terá ela vergonha de parte do que ganha como artista ser pago pela compra das telenovelas em que entra? Ou não será isso que acontece?
Portugal dá trabalho a brasileiros deixando continuar no desemprego milhares de portugueses. Uma interrogação fica no ar: Não se sentirá ela mal sabendo disso?
Não tenho outra explicação para que ela tenha feito este vídeo, senão ter sido para fazer anedota do comportamento de alguns portugueses, em casos isolados. Mas mesmo que não fossem isolados, só tinha que fazê-lo duma forma não-ofensiva, o que não foi o caso, porque fez desses casos isolados uma generalidade inexistente. Quis provar o quê, a quem? Saíu-se muito mal.
Anulei a minha mensagem anterior exactamente porque esquecia-me de esclarecer que, naturalmente, nem todos os brasileiros pensam com um cérebro de esquilo igual ao dela e, portanto, não têm culpa nenhuma da sua ridícula manifestação de regozijo dum feito que não passa duma imbecilidade, sem qualquer qualidade.
Beijinhos.
Maria Letra

A. João Soares disse...

Queridas Ná e Mizita,
Confesso que não estraguei o meu preciso tempo a ler o vídeo. «O humor é uma arte, mas o escárnio e mal-dizer é uma coisa muito diferente». Estas palavras de Luísa Castel-Branco antecedem as de «falta de cultura… igual à sua pobreza de espírito».
O caso merece acção diplomática, mas não mais comentários. Não há desculpas aceitáveis a não ser que venha confessar (redundantemente) que a sua vacuidade cerebral chegou a zero e a caixa craniana só lhe serve para sustentar a cabeleira que o cabeleireiro lhe prepara.
Beijos
João

Ema Pires disse...

Estou totalmente de acordo con os comentários. Esta pobre ignorante nao foi capaz de ver nada que para ela fosse interessante em Portugal. Mas o melhor ainda é nao fazer caso. É uma ignorante mais que pensa que é muito engraçada e inteligente. Coitada.

Visite www.arteautismo.com disse...

João , tudo bem?
Peço desculpas pela atitude da atriz brasileira Maité Proença.
O que ela falou não corresponde ao nossos brasileiros.
O Brasil ama os portugueses e sentem muito este disparate da atriz.Sempre tivemos um bom relacionamento de carinho e amizade com voces e não vai ser esta manchinha que apagara nossos laços fraternos. Esqueçam por favor, o que ela disse, tá ficando véia ......
Beijos e abraços a todos os portugueses.
Ray

A. João Soares disse...

Meus caros amigos,

Sobre este caso desagradável, mas que não passa de um devaneio louco de uma loira desmiolada (segundo parece!) transcrevo este artigo de hoje:

Insanidades tropicais
Correio da Manhã. 15 Outubro 2009. Por Carlos Abreu Amorim

«Levantou-se uma onda de ‘patrioteirice’ a propósito de um vídeo em que uma actriz brasileira parece depreciar algumas das nossas especificidades lusitanas. O que é excessivo – tudo aquilo constitui uma declaração de indigência intelectual para além de qualquer redenção e que só envergonha quem a protagonizou. As desculpas ainda fizeram pior.

Num estudo de Paulo Cavalcanti, ‘Eça de Queiroz agitador no Brasil’, narra-se a polémica que alguns artigos de Eça e de Ramalho Ortigão em ‘As Farpas’ provocaram no Brasil do século XIX.

Longe de querer comparar a senhora Proença com os citados, veio-me à memória uma frase queirosiana: "O brasileiro tem os defeitos dos portugueses só que dilatados pelo calor." É pena que a dita senhora apenas tenha comprovado essa máxima.»


Cumprimentos
João

Odele Souza disse...

Eu como brasileira que sou, fiquei envergonhada diante do povo português por uma "atuação"tão estúpida da Maitê Proença, numa ridícula demosntração de sua falta de cultura e de respeito para com um país nosso irmão.

Felizmente há pessoas como a Maria Letra que no comentário acima, dexou claro que entende que não se pode generalizar. A Maitê não representa o povo brasileiro. Nem todos somos como ela: Ridicula, desinformada, desrespeitosa. Uma vergonha para nós.

Deixo um forte abraço.