quarta-feira, 15 de junho de 2011

A Anedota do Século

Há 8 anos, os EUA invadiram o Iraque segundo a seguinte descrição da Wikipédia: «Assim, em 2003, norte-americanos e britânicos (com apoio de outros países), alegando que o Iraque detinha armas de destruição massiva, invadiram o Iraque, sem o aval da Organização das Nações Unidas, que não se convenceu com as "provas" mostradas pelo Secretário de Estado dos Estados Unidos, Colin Powell, em total desrespeito à justiça internacional, e também com a oposição de muitos governos países ao redor do mundo e também da opinião pública mundial (incluindo os cidadãos dos Estados Unidos, Espanha e Grã-Bretanha), invadiram o Iraque».

Durante estes 8 anos de guerra, as armas de destruição massiva dos iraquianos não foram encontradas, o Presidente do Iraque foi cruelmente maltratado e morto, perderam-se muitas vidas e patrimónios pessoais, foi destruído património arqueológico, histórico, artístico e da estrutura económica e social do País. Mas, apesar de todos esses prejuízos causados na região que foi o berço da história, vem agora uma sugestão de indemnização a pagar pelo Iraque aos EUA!!! É incrível.

Vale a pena ler a notícia publicada no Yahoo News Congressista dos EUA diz que Iraque deve pagar os custos da guerra. Provavelmente será a anedota do século, pois será difícil que outra a suplante. O que seria lógico era a incriminação dos EUA pelo Iraque em tribunal internacional por todos os estragos que fizeram e a exigência de uma indemnização correspondente. Mas, na realidade, nem a ONU nem os tribunais seriam capazes de condenar os EUA, e de os considerar ao nível legal dos outros parceiros da ONU e das relações internacionais. Triste imagem da humanidade de hoje.

Imagem do Google

6 comentários:

O Guardião disse...

O que aconteceria se os iraquianos viessem exigir que Bush viesse a ser julgado pelo TPI?
Cumps

A. João Soares disse...

Caro José Lopes,

Se houvesse tal queixa, o TPI usaria todos artifícios para julgar improcedente, para ilibar, para argumentar com imunidades, ou para virar o bico ao prego e achar que a queixa é ofensiva e condenar o queixoso.
Repare naquilo que se passa cá , a nível nacional. Conhece algum político que tivesse sido julgado e condenado? No entanto, quase todos enriqueceram de forma «incompreensível» e muitos fizeram erros de tal forma que têm destruído recursos nacionais e colocado o País praticamente na bancarrota.

A Justiça não é tão cega como se diz e evita tocar nos poderosos, que são imunes e impunes e intocáveis. Assim o diz a observação de décadas da vida nacional.

Abraço
João

Pedro Coimbra disse...

O atoleiro do Iraque é a mais brutal das provas da absoluta irrelevância da ONU.
E é com grande infelicidade que o constato.
Um abraço

A. João Soares disse...

Caro Pedro Coimbra,
Realmente a ONU tem sido uma desilusão. Com o argumento de defesa dos direitos humanos e da Paz, acaba por estimular grandes morticínios.

Já o referi várias vezes de que cito ao acaso :


- ONU, crise e paz internacional
- Apelo à ONU !
- ONU sem estratégia de acção
- O Mundo pela Paz
- ONU perde credibilidade...
- ONU criou na Líbia um precedente grave
- ONU. Qual o seu papel nas Coreias?
- ONU Paz e Justiça Social global
- Vulnerabilidades da ONU

Abraço
João

Táxi Pluvioso disse...

E fizeram bem. Controlaram o crescimento demográfico, com menos um milhão, o Iraque está melhor. Aliás como faz o bom aluno de Bush, o presidente Báráque, no Afeganistão e Paquistão.

A. João Soares disse...

Caro Taxi Pluvioso,

E assim vai o mundo, subordinado a pessoas que não são as mais escrupulosas, as mais sensatas e competentes.

Abraço
João