segunda-feira, 13 de junho de 2011

Defesa do Ambiente. Dois gritos de alerta





O Planeta não é nosso. Estamos aqui de passagem e não o devemos danificar para o devolvermos em bom estado aos nossos descendentes.
Limpar o Mundo começa por limpar a soleira da nossa porta, a nossa rua, o nosso bairro. Cumpra a sua parte.
Difunda para alertar os distraídos.
AJS

2 comentários:

O Guardião disse...

São muitos os que esperam que os outros façam o que é correcto compensando a sua própria irresponsabilidade e inércia.
Cumps

A. João Soares disse...

Caro Guardião,

Infelizmente o que diz é verdade. Não há sentimento cívico nem noção da responsabilidade de cada pessoa, em relação aos cuidados colectivos. E cada vez será mais difícil adquirir tais qualidades porque os pais já não pensam em tais valores éticos e os professores são da geração em que isso já era desprezado.
Mas, por isso, os poucos que ainda pensamos positivamente devemos martelar nos espíritos, como água em pedra dura, até que façamos compreender o grande problema colectivo da defesa do AMBIENTE.

Em fins da década de 60, no fim de uma manhã de sábado, na cidade de Fulda na RFA, vi um senhor bem vestido de gravata a passar uma esfregona no passeio em frente de uma ourivesaria. Devia ser um empregado ou talvez o proprietário. Limpava a sua fachada para que a rua estivesse limpa no fim-de-semana. Provavelmente faria aquilo ao fim de cada dia.
Este era um sinal de um país de gente civilizada que, por essas e outras, é o mais poderoso da Europa.

Seria bom que os portugueses procurassem imitar os bons exemplos que chegam de fora.

Abraço
João