quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

EDP paga a Pinho e povo paga mais à EDP

A matemática não é contornável. Quando se tira, o resultado será negativo para a vítima do final da sequência, sempre a parte mais fraca. Vejamos a notícia «Entidade reguladora prevê subida dos preços da electricidade». Este aumento já foi previsto quando os jornais deram notícias acerca de «Pinho vai dar aulas em Nova Iorque. EDP paga», «Três milhões da EDP para Pinho», «EDP paga aulas de Manuel Pinho em Columbia». É bom que as pessoas não esqueçam as notícias como estas e meditem sobre elas e no que representam para cada um de nós.

Estes três milhões têm que sair de algum lado e, como os administradores não querem ver reduzidas as suas mordomias, nem querem diminuir o valor dos dividendos aos donos do dinheiro, vão buscar para isto e outras fantasias o pouco que os consumidores têm, depois de saqueados pela «austeridade» que lhes foi dirigida com boa pontaria, tendo poupado os mais poderosos..

Com este sistema de funcionamento da vida económica portuguesa, não admira que a dívida soberana venha crescendo consecutivamente e que o descontentamento popular aumente de forma alarmante, fazendo prever algo de grave e incontrolável. Os governantes devem colocar os olhos naquilo que tem acontecido na Tunísia, na Albânia, na Bélgica e no Egipto. Governar é prever, é ter os olhos no futuro para reduzir as dificuldades e potenciar as possibilidades.

Imagem da Net

5 comentários:

O Guardião disse...

O maior problema será terem que ser apenas alguns portugueses a tentarem deitar abaixo este mau governo, porque aí não serão apenas protestos pacíficos, terá que ser algo mais.
Cumps

A. João Soares disse...

Caro Guardião,

Aos países em que a população se está a sublevar, junta-se agi«ora o Iémene.

Não seriam necessárias tais manifestações, que acabam sempre em graves prejuízos para inocentes, se os detentores do poder o utilizassem com honestidade, dignidade e civismo, isto é, com respeito pelos seus compatriotas e pelo dinheiro público que é de todos.

Sem esse respeito e total dignidade, a solução acaba por ter de ser violenta. Esse já foi referido por dois sociólogos, Boaventura Sousa Santos e António Barreto, como é citado em http://aeiou.expresso.pt/explosao-social-podera-suceder-a-estupefacao=f622913

Eles temem que surja uma «explosão social espontânea». Mas os exemplos que chegam do mundo mostram que ela pode ocorrer a breve trecho.

Para a evitar seria indispensável que os governantes, políticos em geral e gestores de serviços públicos passassem a seguir rigorosamente a ética atrás referida. Sem eles se converterem ao respeito pelo seu concidadão, não se prevê um futuro sossegado.

E eles acabarão por nem poderem contar com a polícia, como se viu na Tunísia. E não esqueçam de que PM Indiana, Indira Gandhi, foi assassinada por dois guarda-costas.

Um abraço
João
Só imagens

Anónimo disse...

Bandeira: banqueiro, socialista e maçon.
Na CGD (300 mil de vice), no BPN (66 mil de chefe).
Viva a Revolução.
E a 4ª República.
Bmonteiro

A. João Soares disse...

Caro B Monteiro,

Uma síntese com interesse. Seria interessante que a explicasse para ser entendida pelos leitores menos esclarecidos. Tem este espaço à sua disposição

Um abraço
João
Só imagens

Luis disse...

Caríssimo Amigo João,
Aliado a tudo quanto disseste vem agora a notícia de que o governo está contra o corte aos vencimentos dos gestores de empresas públicas... "eles" que se cuidem pois há razões para pensar que grande parte do povo português já está a ficar à FOME!!!
Um abraço amigo e solidário.