sábado, 1 de janeiro de 2011

Assim construíram a crise!!!



Apetece perguntar «Porque não te calas?»
Com as sucessivas mentiras incoerentes criaram a crise em que estamos afundados.
E os portugueses continuamos impassivos a ouvir, sem reagir, como se não se tratasse da nossa vida e do futuro dos nossos descendentes.

5 comentários:

O Guardião disse...

José Sócrates não se dá bem com a verdade.
Boas entradas.
Cumps

A. João Soares disse...

Caro Guardião,

Para ele não há verdade, há interesses. Aí serve dois senhores. Os poderosos da economia e finanças e o povo, ficando este em último lugar só existindo em campanhas eleitorais, ou em discursos fantasiosos.
Aos poderosos tem que mostrar gratidão pela fortuna que acumulou para ele e para os familiares e conquistar «direito» a asilo dourado num tacho bem cómodo e remunerado. Por isso não lhe é fácil preocupar-se com a verdade nem com valores éticos e morais. Mas não é apenas ele. Isto passa-se em maior ou menor grau com toos os políticos, principalmente, os que passaram ou esperam passar pelo Governo.

Um abraço
João
Só imagens

Paulo Lopes disse...

O povo foi, e está, anestesiado com tanta informação contraditória, já não acredita em nada. Devem achar que as medidas difícieis que andam a anunciar afinal, também são mentira!

Coitado deste povo que se deixou enganar e já nem reage quando lhe metem a mão nos bolsos à descarada!

A comunicação social também tem culpa, pelo que é melhor os jornaleiros passarem também a andar com guarda-costas, como andam os malandros profissionais da ladroagem.

Bom 2011 para todos os homens de bom coração. Os outros, que sejam vítimas do seu próprio vómito!

Por Portugal!

A. João Soares disse...

Caro Paulo Lopes,

A respeito do sofrimento que nos vai ser imposto este ano e da indiferença do povo, transcrevo uma troca de mensagens por e-mail:

Começa hoje o novo Ano, e começa mal com aumentos e mais aumentos, presentes do desgoverno que somos
obrigados a suportar, " democraticamente, claro está... Ah, santa ignorância...


O Povo está anestesiado e teima em não reagir. Temos que raciocinar que, se estamos em crise, ela deve ser suportada por todos, principalmente pelos que mais têm beneficiado da exploração dos clientes, dos contribuintes, dos utilizadores, dos beneficiários, dos pensionistas. Mas não.
Os accionistas das empresas prestadoras de serviços e de comercialização de produtos de consumo não querem prescindir dos lucros habituais, exorbitantes, os administradores não querem perder os salários de nababos e os prémios e as ajudas e de custo e outras mordomias.
O resultado é o povinho continuar a ser duplamente explorado em tudo e por todos os tubarões do costume.
E o Governo o que faz? Não faz nada para não perder os apoios de quem lhes puxa os cordelinhos, de quem lhes dá, em breve, os tachos que são autênticos asilos dourados para os políticos da terceira idade. Eles asilam-se em bancos, em construtoras, em supranacionais, depois de passarem por cima dos interesses nacionais, dos portugueses.
É preciso denunciar estes escândalos, a fim de o povo abrir os olhos e decidir reagir.


Caro Paulo Lopes,
Este ano vai ser um ano difícil, porque cada português se verá confrontado com a necessidade de tomar uma posição, que deverá ser em seu benefício e dos outros compatriotas explorados por gente sem escrúpulos.

Se a «explosão social» for espontânea como os sociólogos pensam, poderá ser descontrolada e não ter travão que a impeça de excessos de violência em que serão afectados mais os inocentes do que os verdadeiros culpados da crise. Poderemos vir a ter momentos difíceis.
Seria melhor vir o FMI que colocaria nos governantes um freio e evitaria que tivesse de ser o povo a fazê-lo de forma mais desajeitada.

Um abraço
João
Só imagens

Campista selvagem disse...

Estes srs. são sem duvida um doença, o problema é que não isiste nunhum antiduto ou se há não isiste médico capaz de o receitar.
os que se aglumeram para agarrar o logar destes não sõ melhores e se corrermos com estes teremos outros a mamar a teta e pior pagams reformas churudas a estes, é um mal mas não deslumbro cura.
e o pior é que os nossos parceiros europeus só se interessam em sugar nunca lhes passou pela cabeça ajuar mas antes sugar.
começo a sentir receio mas o passado disnos que só as revoluções deram mudamças.
tenho a impressão que os germánicos principalmente ainda não apreenderam, não será esta senhora um novo itler encoberto.