domingo, 18 de dezembro de 2011

António Aleixo sempre actual

CINCO QUADRAS DO ANTÓNIO ALEIXO

Acho uma moral ruim
trazer o vulgo enganado:
mandarem fazer assim
e eles fazerem assado.

Sou um dos membros malditos
dessa falsa sociedade
que, baseada nos mitos,
pode roubar à vontade.

Esses por quem não te interessas
produzem quanto consomes:
vivem das tuas promessas
ganhando o pão que tu comes.

Não me dêem mais desgostos
porque sei raciocinar...
Só os burros estão dispostos
a sofrer sem protestar!

Esta mascarada enorme
com que o mundo nos aldraba,
dura enquanto o povo dorme,
quando ele acordar, acaba.

Recebido por e-mail
Estátua a António Aleixo

3 comentários:

Zé Povinho disse...

Que difícil é para este povo acordar...
Abraço do Zé

A. João Soares disse...

Amigo Zé Povinho,

É difícil, mas não impossível. No entanto, é desejável que o despertar seja sereno sem convulsões dramáticas, sem causar danos a população inocente.

Os sinais do acordar estão a surgir, como se viu há dias em Braga e em Aveiro.

Abraço e votos de Boas Festas
João

Abraço
João

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Caro amigo João
Muito obrigado pelos votos de Feliz Natal, que venho aqui agradecer e retribuir.
Quanto a 2012, infelizmente, não poderemos esperar nada de bom, mas pelo menos que tenhamos saúde para o ultrapassar.
Abraço