quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Ongoing a empresa que deu tacho a Branquinho

Seguem-se os títulos de algumas notícias, em link, para os interessados poderem com facilidade associar os factos:

Hoje, 01-12-2010:
Actuação do grupo português Ongoing será investigada no Brasil

Em 22-10-2010:
Agostinho Branquinho renuncia ao Parlamento

Em 23-10-2010:
- PSD em silêncio com a saída de Branquinho para a Ongoing
- PCP e BE censuram ida de Branquinho para Ongoing
- O país que Branquinho pinta

NOTA: Um deputado entrega a pasta no Parlamento e vai para cargo de grande remuneração numa empresa privada. Certamente os responsáveis desta são amigos e gratos por favores recebidos. Por outro lado é nula a dedicação dele ao cargo político a que, voluntariamente, se candidatou e para o qual recebeu o voto de povo, confiante, ingénuo e iludido. Enganou os seus eleitores, traiu a confiança que os votantes depositaram nele. E, pelos vistos, não procurou conhecer melhor o Eldorado em que ia meter-se.

Mas não há quem fale nestas coisas com clareza e frontalidade. Ele diz que um deputado não tem poder de decisão para fazer favores. Não sei a que chama favores. Mas ninguém ignora o tráfico de influências e quantos benefícios são daí retirados por assessores e outros políticos de todos os escalões.

Foto Rodrigo Cabrita/Global Imagens

5 comentários:

Zorro disse...

Longe de mim querer defender o PSD, mas depois de todos os bóis do PS terem tidos os seus jobs, os mesmos vêm atacar a "concorrência" em tempo de "crise". Os bóis serão sempre bóis, apesar de oriundos de coutadas diferentes.

A. João Soares disse...

Zorro,

Obrigado pela visita e pelo comentário. A sua posição está perfeitamente sintonizada com o pensamento do autor deste blog. Não adiante muito desejar a mudança das moscas. O que é preciso é moralizar o regime, o sistema, a manjedoura.
Neste caso, é chocante o desprezo deste boy, pelos seus eleitores que lhe deram a esmola que ele pediu, o voto. E abandonou o compromisso assumido indo atrás de uma promessa, eventualmente, a paga de um favor. Aceitou, mesmo tendo dito pouco tempo antes que nada sabia da Ongoing.
Não se devem atacar pessoas, porque ninguém é perfeito, mas há que alertar para erros a fim de não voltarem a ser cometidos, há que apontar o dedo a atitudes de desrespeito para os cidadãos, etc.
E nesse gesto de moralização não se olha às pessoas nem à cor do seu capote.
Têm sido aqui elogiadas palavras e atitudes de pessoas de todos os quadrantes.

Um abraço
João
Só imagens

O Guardião disse...

A lógica partidária actual e o funcionamento dos partidos tem sido uma vergonha. Política não pode ser reduzida a um mero trampolim para os tachos que por aí se multiplicam.
Cumps

A. João Soares disse...

Caro Guardião,

Eles usam um moderno conceito de política com letras muito minúsculas. com o significado de ciência de «se governarem» sem preconceitos nem pruridos de consciência, sem olhar a quem pisam... A corrupção, o compadrio, a troca de favores, a arrogância, a verborreia, são meras ferramentas a utilizar segundo o princípio «vale tudo».

Um abraço
João
Só imagens

Luis disse...

Meu Bom e Caríssimo Amigo João,
Na verdade a coutada dos bois não tem cor são todos iguais e pertencem ao POP (leia-se Partido Oportunista Português)e só se servem , não servem quem os lá colocou - o Povo Português!
Está tudo dito...
Um forte abraço.