sexta-feira, 30 de março de 2012

Desaparecimento das abelhas


As abelhas dão o mel que tantos benefícios nos traz e fazem a polinização das plantas, sem as quais a vida no Planeta não será mais a mesma coisa. Veja-se o post Mel, alimento e remédio e todos os que lhe aparecerem se pesquisar «mel». Essas dicas variadas fazem que encaremos com preocupação o contínuo desaparecimento das abelhas.

Segundo a notícia Pesticidas mais usados relacionados com o declínio das abelhas, «dois estudos científicos, agora publicados na revista Science, revelam que os pesticidas mais usados no mundo estão a contribuir para o declínio das populações de abelhas e de abelhões e que, por isso, os processos de autorização devem ser reavaliados.»

Segundo estes estudos, as abelhas têm estado a morrer no mundo inteiro, nas últimas décadas, por efeito dos insecticidas mais usados em todo o mundo, no sistema nervoso central das abelhas, m virtude de, a partir da década de 1990 terem na sua composição neonicotinóides, principalmente os do tipo imidacloprides, que a Direcção-Geral de Agricultura portuguesa considera “extremamente perigoso para abelhas” e aves.
Vale a pena ler todo o artigo.

Imagem de arquivo

2 comentários:

Campista selvagem disse...

Meu caro João.
Não sei até que ponto é verdade a dituação em causa, pode até ser em alguna locais, não na generalidade, neste caso sei do que falo pois sou um pequeno apicultor,mais por gosto que por beneficio, nos ultimos anos não tenho reparado em desaparecimento antes em duenças lucais (pragas) que eliminam culmeias em poucos dias, são as larvas de borboleta o meu maior receio neste caso, pois não há nada para as combater, no caso da barroa ainda temos algum tratamento de prevenção, nesta caso é a morte em poucos dias.
Mas meu caro o maior problema é a falta de escoamento para o mel, é isso que obriga os apicultores a deixar de investir nos tratamentos claro depois vêm as epedemias.
(Sabe os Portugueses preferem comprar doce de cabaça nas g. superficies por preços malucos que colabirar com os pequenos apicultores pagando 6€ por um kl de mel, enquanto que pelo tal doce de cabaça com sabor amel pagam 3/4€ por duzentas gramas, é o povo que decide quem sobrevive.)

A. João Soares disse...

Caro Campista Selvagem,

Parece que o Sr vive numa região onde a agricultura se aproxima do «biológico» usando poucos pesticidas, insecticidas e outros químicos.
Já tive conhecimento da diminuição preocupante das abelhas no mundo, há 2 ou 3 anos. Este estudo elaborado pela equipa, coordenada por Penelope Whitehorn, da Universidade de Stirling, no Reino Unido, vem trazer alguma luz sobre o problema e, certamente, seguir-se-ão mais dados sobre este assunto.

Oxalá as autoridades prestem mais atenção aos químicos usados na agricultura e produção de alimentos, por forma a não ser colocada em risco a vida dos seres humanos e de outros seres vivos que entrem na cadeia alimentar.

Abraço
João