sábado, 31 de janeiro de 2015

DESTINO DA FORTUNA DO BES

Transcrição de e-mail recebido em 30-01-2014:

Descobriu-se Quem Tem A Fortuna Desaparecida Do BES!

Alegadamente, mais de 3 mil milhões de euros, transferidos para o BES Angola, desapareceram. Na comissão de inquérito, os ex-administradores do BES disseram nada saber.
A polícia portuguesa parece incapaz de descobrir o destino do dinheiro.

Mas Paulo de Morais, vice-presidente da Associação de Integridade e Transparência, sabe onde está o dinheiro, sabe quem o tem e também quanto cada pessoa recebeu. Neste impressionante vídeo, Paulo de Morais não esconde o jogo e nomeia individualmente cada um dos recipientes da fortuna que desapareceu do BES, a mesma fortuna que as autoridades parecem relutantes em perseguir e que todos nós estamos a pagar.

UNS NÃO SABEM, OU NÃO QUEREM SABER, MAS OUTROS SEM QUERER SABER, SABEM AS COISAS. ISTO NÃO SERÁ DEMAIS PARA AS NOSSAS CABEÇAS?

É esclarecedor ver o vídeo:

video

2 comentários:

Pedro Coimbra disse...

Tinha recebido o vídeo.
Este tipo não tem papas na língua.
E trata os bois pelos nomes, doa a quem doer.

A. João Soares disse...

Paulo Morais é um Homem de coragem exemplar,numa era em que os jornalistas em geral e as pessoas públicas demonstram uma subserviência ao poder de momento e um medo impressionante. Todas as pessoas deviam ter amor pela verdade e criticar abertamente,sem faltar ao que acham ser verdade nem ao respeito pelos outros, aquilo que lhes parece estar mal.Mas não devem ficar apenas pela crítica, pois será boa ajuda para o destino dos cidadãos apontar pistas e soluções para melhorar a vida da colectividade.
Infelizmente, as pessoas que nunca disseram algo de válido em ajuda aos poderosos para aperfeiçoarem o seu comportamento, quando estes caem em desgraça não hesitam em lhe atribuir todos os defeitos, embora isso já nada traga de bom e mostre espírito de vingança, de bater no que já está em posição de fraqueza.
E concluamos que a vida de uma sociedade não muda com as palavras, sendo indispensável a acção.Esta é ainda mais rara do que as boas sugestões. Daí que a mudança em curso na Grécia mereça ser devidamente analisada por ser um caso muito raro, principalmente por ter sido uma mudança de atitude colectiva de grande peso.