sábado, 10 de maio de 2014

QUE FUTURO PARA PORTUGAL ???


Transcrição de texto recebido por e-mail:

REFLEXÃO

Estamos, nós portugueses, na situação de se ter acabado o denominado Programa de Assistência Financeira, patrocinado pelo FMI, UE e BCE, ao nível externo, e pelo CDS-PP, PSD e pelo PS, ao nível interno.

Muito bem. O enquadramento internacional, dominado pela demissão das classes políticas e sua submissão aos poderes dos ditos mercados financeiros, é o que é, e será, a menos que surja uma nova classe política que tenha sentido de Missão e sentido de Estado. Tendo sido o Programa condicionado pelas circunstâncias que de todos são conhecidas e sendo condicionado pela excessiva desregulação do Sistema Bancário e dos Mercados Financeiros Internacionais, verificada a partir dos anos de 1980 é, evidentemente, uma boa notícia. Mas a minha questão é esta:

- O que quer ser Portugal no Sistema Internacional?
- Que objectivos queremos atingir?
- Para onde vamos?
- Com que meios?
- De que forma?
- Em quanto tempo pretendemos atingir o/s objectivo/s?

Infelizmente Nenhum Partido com assento no Parlamento, me deu até hoje Nenhuma pista ou sinal de que tem respostas para estas questões e continuam à voltas com saídas limpas ou sujas, com programas que deviam ter sido implementados ou não, etc...

E isto é dramático pois significa que estaremos "à guarda" destas instituições de que somos membros de pleno direito, mas nas quais devíamos ter voz activa se os Partidos tivessem Ideias Claras sobre Portugal do Futuro, o que não acontece.

Assim Portugal irá definhando, a menos que os Portugueses queiram obrigar a classe política a mudar de vida.

À vossa Reflexão.

Melhores cumprimentos
Miguel Mattos Chaves

4 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Parece-me que brincam ao faz de conta mantendo a situação cada dia pior para pior...irresponsabilidade de todos que ocupam e já ocuparam o governo e o parlamento...

A. João Soares disse...

Caro Luís Rodrigues Coelho,

No reino dos animais ditos racionais é incrível o que se passa. Para exercer qualquer profissão é preciso haver a certeza da competência das pessoas admitidas. Fala-se de exames a professores quer no início da carreira quer durante ela para avaliar a sua eficácia actualizada. Os militares durante a carreira fazem dezenas de cursos e estão sujeitos a avaliação permanente.
E os políticos? Nada. A sua carreira nasce do fracasso nos estudos. Não há curso superior específico para a função, nem sequer conhecem geograficamente o país,e muito menos a sociedade que o habita. Entram na política para enriquecer muito, rapidamente e por qualquer forma.
E o povo embarca festivamente na fantochada da escolha dos seus algozes, a que chama eleições, quando faz um rabisco num papel com uma sigla que oculta dezenas de nomes desconhecidos, sendo alguns «dotados» das piores maleitas.

Isto tem que mudar porque, tal como está, é impróprio para pessoas medianamente inteligentes e honestas.

Abraço
João Soares

RAMIRO ANDRADE - O PROVOCADOR disse...

Caro A. João Soares

Fico contente por teres mudado de opinião em relação á eleições.
A uns tempos atras dizias que não deveríamos abster de votar, escreveste isto num comentário que fizeste em resposta a mim.
Hoje apregoas dar uma resposta a esta classe de parasitas, não votando, fico feliz que mudaste de opinião.
Mas isto não chega!!!!!!!!!!
Eles tem que levar um valente susto, mas grande mesmo.
Não vou dizer mais nada, porque sou monitorado em tudo o que escrevo.
Um abraço.

Ramiro Lopes Andrade

http://ramirolopesandrade.blogspot.pt/2014/05/querido-passos-coelho-poe-no-cu-de.html

A. João Soares disse...

Caro Ramiro,

Não mudei de opinião a não ser num pequeno pormenor. Defendia o voto branco que representa uma bofetada em todos os concorrentes, mostrando que nenhuma merece a minha aprovação.Mas foi-me chamada a atenção para o facto de o voto branco,só por entrar na urna, dá dinheiro para os partidos candidatos. Ora,nenhum deles me merece confiança para lhes dar dinheiro dos nossos impostos. Logo a atitude mais irracional é a ABSTENÇÃO.
O Marcelo Rebelo de Sousa sugere que o voto passe a ser obrigatório. Quando isso for legislado então terei de votar em bravo, se continuar a ver a venalidade de gajos que se candidatam

Abraço
João Soares