domingo, 28 de junho de 2015

A DEMOCRACIA E O VOTO


Transcrição seguida de NOTA

"Se temos más políticas é porque os portugueses querem"
POR NOTÍCIAS AO MINUTO. 150628. ÀS 17:07

O presidente do PS garante que a única alternativa é o voto no PS para contrariar a "má política" nestes últimos quatro anos.

No congresso do PS/Madeira, Carlos César, diz não ter dúvidas que as más políticas e os maus políticos são responsabilidade dos portugueses. “Se temos más políticas é porque os portugueses querem, sobretudo os que não vão votar”, afirma.

O presidente do PS indica ainda que mesmo os que sabem que este Governo “não presta” nada fazem para o alterar. Mas isso não iliba o Governo, nem os erros cometidos, segundo o Expresso.

“O mesmo Governo que tudo fez para destruir uma das melhores realizações do Portugal do pós-25 Abril: o sistema nacional de saúde. Essas são responsabilidades de quem governou o país nos últimos quatros anos”, acrescenta.

Para o socialista a única alternativa é votar no PS nas próximas eleições. E caso o façam, tudo será feito para recuperar o emprego e a economia portuguesa.

NOTA:

Estas palavras de Carlos César valem o que vale tudo o que nos é cuspido pelos propagandistas dos partidos em vésperas de eleições. As promessas são sempre encantadoras mas o encanto é rasgado e atirado ao lixo logo que são conhecidos os resultados da contagem dos votos.
O próprio acto de escolher uma lista constitui uma armadilha porque a maioria dos eleitores não conhece minimamente os nomes nela constantes.
O sistema eleitoral precisa de ser democratizado.
Por exemplo: Cada eleitor escreve no voto para as freguesias 3 ou 4 nomes e dessa totalidade são selecionados os que têm mais votos para constituir os respectivos órgãos autárquicos. Depois são os eleitos de todas as freguesias que agem de igual forma para os órgãos dos concelhos e, assim, por este processo, devidamente burilado, se chega ao Parlamento.
De tal forma, se poderia dizer que o povo tem o Poder que escolheu. Mas, na realidade, a partidocracia não está interessada em perder a sua «liberdade» autoritária de decidir quem quer que seja nomeado, colocando os candidatos em listas devidamente priorizadas.

2 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

A culpa não é só dos portugueses mas é principalmente dos maus políticos.
Estes foram maus. Prometeram-nos uma coisa e fizeram outra bem diferente.
Penalizaram todos os portugueses excepto os políticos que que gozam de todas as mordomias.
Sofremos um débito geral de gente na política mal formada,sem valores e sem respeito pelo povo em geral

A. João Soares disse...

Caro Amigo,
Dentro da legalidade que nos é imposta, os portugueses não têm culpa. Esta reside apenas no mau funcionamento dos partidos e daqueles que os constituem e apoiam.
A única que os portugueses poderiam fazer,mas fora da legalidade,seria usar de violência contra tudo o que lhes parece errado e que os prejudica quer individual quer colectivamente,uma espécie de jihadismo.
Veja a falta de critério honesto para a escolha de deputados, por exemplo no caso referido pela notícia «Deputada Elsa Cordeiro ganha contratos estatais para as empresas do seu marido»
http://paradigmatrix.net/sociedade/portugal/deputada-elsa-cordeiro-ganha-contratos-estatais-para-as-empresas-do-seu-marido/
E não é caso único. Há ministros que aplicam mais tempo na gestão dos interesses das suas empresas do que nas funções para que o nosso dinheiro lhes paga. Temos uma péssima estrutura do Estado, que já teve a promessa de ser reformada mas que continua mal,os partidos tratam dos seus interesses e dos seus cúmplices e coniventes e as pessoas que são nomeadas para altas funções públicas dão prioridade aos seus interesses pessoais e aos dos seus amigos. Por quanto mais tempo continuará esta infecção descontrolada?